18/12/2019 •
2 min. de leitura

Como a tecnologia tem transformado o mercado financeiro e quais as tendências para os próximos anos?

 

Processos cada vez mais rápidos, práticos e intuitivos têm mudado a relação entre clientes e instituições financeiras nos últimos anos

 

 

É evidente que a tecnologia no mercado financeiro já mudou a forma como clientes e instituições financeiras se relacionam. Ao contrário do que se via há uma ou duas décadas, ir a uma agência bancária para resolver algum tipo de questão já parece tão antiquado quanto precisar entregar documentos físicos para se fazer uma validação cadastral.

Abrir contas, contratar empréstimos, pagar contas, emitir cartões de crédito... tudo isso já pode ser feito na palma da mão, em um smartphone, sem a necessidade de entregar documentos, assinar contratos e com a possibilidade de cumprir poucas e simples etapas. Tudo de maneira segura e confiável.

Tecnologias aplicadas no mercado financeiro atualmente

Muito além de permitir o acesso a contas por meio de tablets e smartphones, o uso da tecnologia no mercado financeiro torna viável a criação de novos produtos e modelos de negócio, incluindo o crescimento das fintechs e seus respectivos benefícios aos consumidores.

No entanto, nada disso acontece sem que haja antes muito estudo, muitos testes, cumprimento de exigências legais e compliance. Para isso, a tecnologia embarcada em cada processo é fundamental. Somente em 2018, estudos mostram que instituições financeiras investiram cerca de R$ 19 bilhões em tecnologia. Bancos e fintechs que quiserem acompanhar a inovação neste mercado precisam entender que a aplicação de tecnologia não mais uma questão opcional.

Conheça alguns exemplos de tecnologia no mercado financeiro aplicada atualmente.

Wearables

O uso de wearables é feito para que o cliente possa pagar uma conta simplesmente ao aproximar um relógio ou pulseira digital da máquina de cobrança, gerando praticidade e rapidez.

Inteligência Artificial

Muito utilizada para agilizar o autoatendimento, a Inteligência Artificial é a responsável pelos chamados bots, que são robôs capazes de manter uma conversa com o cliente, simulando um atendimento real entre pessoas. Os bots podem ser utilizados para guiar o cliente por meio de processos, como um pedido de financiamento ou a abertura de uma conta, e também para tirar dúvidas.

Big Data Analytics

O Big Data Analytics é a tecnologia responsável por processar o volume absurdo de dados e informações geradas o tempo todo e em todos os lugares do mundo atual (Big Data). Saber o que fazer com estes dados e, principalmente, ter os recursos para organizar, analisar e extrair conclusões é imprescindível.

Blockchain

Blockchain é a tecnologia utilizada para garantir segurança às moedas virtuais, como o bitcoin, por exemplo. A importância do blockchain, falando de maneira relativamente simplificada, é a de impedir que essas moedas sejam alvos de hackers ou de fraudes entre usuários, garantindo a confiabilidade das transações. Vale ressaltar que sistemas similares, como os das bolsas de valores, também podem se beneficiar com o uso do blockchain.

Diferenciais competitivos que a tecnologia oferece

A tecnologia no mercado financeiro está longe de ter alcançado seu limite de desenvolvimento, se é que algum dia haverá um limite. Já aplicada em diversos processos do mercado financeiro, ela representa diferencial competitivo importante em alguns produtos e serviços, como os exemplos explicados abaixo.

Abertura de contas online

Desde 2016, quando o Banco Central do Brasil autorizou bancos e fintechs a realizarem aberturas de contas pela internet, as instituições buscam formas de utilizar a tecnologia no mercado financeiro para captar a fatia de 25% da população economicamente ativa do país que ainda não é bancarizada, além de tentar tornar este tipo de processo mais rápido, intuitivo e, principalmente, seguro.

Acontece, no entanto, que a abertura de conta pela internet, apesar de tornar a experiência do cliente muito mais prática e conveniente, não é necessariamente mais segura, e é esta a grande questão para instituições financeiras que oferecem tal modalidade aos seus clientes.

Conheça o Data Trust, a solução da ClearSale para a validação inteligente de cadastros

Ao longo das décadas, os bancos que operam no Brasil se acostumaram a autenticar usuários presencialmente nas agências, além de uma minuciosa análise dos documentos exigidos no momento da solicitação de abertura de uma conta.

O problema é que este processo não é apenas demorado, o que por si só já é uma desvantagem considerável em pleno 2019, mas também é muito difícil de ser escalado, já que envolve, basicamente, a análise humana de cada caso.

Não demorou para que as instituições financeiras percebessem que não fazia mais sentido exigir que os clientes levassem ou enviassem documentos físicos a uma agência na hora de abrir uma conta. Era um processo praticamente todo manual e nada sustentável.

Por meio de novas tecnologias de automação e Inteligência Artificial, bancos e fintechs tornaram possível realizar todo o processo de abertura de conta por meios digitais.

Emissão de cartões digitais

Indiscutivelmente, a criação do cartão de crédito transformou o conceito de pagamento em todo o mundo. Com o surgimento e crescimento do e-commerce, a importância do cartão de crédito disparou também no mundo digital, já que oferece rapidez, praticidade, comodidade e, idealmente, segurança em todo o processo.

A inovação contínua e o aprimoramento constante de novas tecnologias, somados às novas necessidades do varejo e dos consumidores, fizeram com que a emissão de cartões passasse a ser feita totalmente via web, o que tornou o processo mais rápido, com menos inconveniências em cada etapa e, ainda assim, seguro.

Hoje, um cartão de crédito, definitivamente, nem precisa existir fisicamente para funcionar. O cartão virtual é uma realidade cada vez mais utilizada, já que, em teoria, oferece maior segurança para os consumidores, principalmente por dificultar as tentativas de clonagem.

Basicamente, estes cartões são apenas números que somem após a utilização ou vencimento do prazo de validade, que costuma ser de 48 horas a partir da emissão.

Concessão de crédito

Bancos e fintechs não precisam mais exigir, graças à tecnologia no mercado financeiro, a presença física e a comprovação de identidade por meio da validação de inúmeros documentos. Tal análise, conhecida no meio como documentoscopia, já pode ser feita de maneira rápida, totalmente digital e em larga escala.

Isso acontece porque bancos e instituições financeiras que concedem crédito já podem desenvolver ferramentas capazes de analisar o comportamento do requerente no mundo digital e de analisar a força dos vínculos entre os dados cadastrais informados, para fornecer ratings e insights que auxiliam a tomada de decisão segura sobre a concessão de crédito, com o diferencial de evitar fraudes ao mesmo tempo em que consumidores legítimos são protegidos.

Em casos nos quais os requerentes são empresas, costumam ser analisados os balanços patrimoniais e o fluxo de caixa, pois são bons indicadores do andamento da saúde financeira da organização.

Conceder crédito é uma tarefa mais complexa do que pode parecer. Garantir uma análise que possibilite decisões saudáveis para o negócio e para os clientes requer muita expertise e cuidado com fatores extremamente sensíveis, como é o caso da segurança sob a qual todo o processo é realizado, principalmente no que diz respeito à prevenção a fraudes.

A tecnologia aplicada na análise de crédito tenta identificar, por meio do cruzamento de diversos tipos de dados, em qual nível de risco está a concessão, principalmente quanto à inadimplência.

Vantagens de aplicar tecnologia no mercado financeiro

Como visto neste artigo, a tecnologia pode ser um diferencial competitivo importante para empresas do mercado financeiro, tanto na oferta de produtos e serviços quanto na segurança de cada processo. Aliás, a resistência histórica de bancos tradicionais à aplicação de tecnologia em alguns processos se deve, principalmente, à preocupação com segurança.

Os bancos que valorizam uma experiência diferenciada ao clientes, e que entenderam que isso é uma vantagem competitiva valiosa, passaram a usar Big Data para coletar e armazenar dados sobre a rotina financeira e hábitos de investimento de seus clientes.

Dessa forma, as instituições conseguem proporcionar ofertas e serviços personalizados, além de ser uma boa forma de fidelizar os clientes por meio do cuidado e da personalização, características cada vez mais exigidas pelos novos perfis de consumidores.

Importância de investir em tecnologia

Apontada no CIAB 2019 como aliada importante a ser explorada pelo setor bancário, a tecnologia é fundamental, além de tudo, para garantir a segurança das partes envolvidas nas transações citadas ao longo deste artigo.

Ferramentas modernas de Machine Learning e Behavior Analytics tornam possível calibrar Inteligência Artificial com dados para mapear o comportamento de indivíduos no mundo digital, com uma riqueza de detalhes inimaginável até pouco tempo atrás.

Ao combinar esta tecnologia com mão de obra ultra especializada, cria-se um sistema entrega muita eficiência em cada processo.

Estudos de consultorias mostram que os investimentos das instituições com tecnologia para soluções contra fraudes de identidade, por exemplo, vão chegar a US$ 10,4 bilhões até 2023.

Tendências de tecnologia no mercado financeiro

A tecnologia tende a ser usada cada vez mais pelo mercado financeiro. Todas as ferramentas tecnológicas mostradas ao longo desse artigo serão usadas para oferecer produtos, serviços e atendimento cada vez mais personalizados e eficientes.

Acompanhar o desenvolvimento essas tendências atentamente e aplicá-las ao negócio será sinônimo de ganho de eficiência em processos internos, na visão estratégica, na capacidade de oferecer soluções, no atendimento ao cliente, na desburocratização de processos, na prospecção de clientes e na segurança operacional como um todo.

Obviamente, empresas que não conseguirem acompanhar essas tendências de tecnologia no mercado financeiro, ficarão para trás nessa corrida voraz. Com isso, investir em inovação e fomentar o pensamento disruptivo são os primeiros passos na busca pela melhor aplicação da tecnologia. Dessa forma, ficará mais fácil trabalhar de maneira inteligente e eficaz para o crescimento sustentável do negócio.

Título

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.