1/04/2019 •
2 min. de leitura

Conheça os principais riscos de fraude para o comércio omnichannel

À medida em que a experiência de compra evoluiu para se expandir em vários canais, a exposição a fraudes do varejo eletrônico também aumentou

 

Os clientes querem o que querem, como querem e quando querem.

E, à medida em que a tecnologia avança, os comerciantes de e-commerce estão fazendo hora extra para atender a essas demandas. Mas, à medida que a experiência de compra evoluiu para se expandir em vários canais, a exposição a fraudes do varejo eletrônico também aumentou.

Os comerciantes de hoje devem entender os riscos de fraude que cada canal apresenta. O que funcionou no passado para proteger a receita e a reputação pode não ser mais eficaz. É necessário que haja um sistema de proteção adequado contra novos riscos de fraude omnichannel.

Quais são os riscos de fraude omnichannel?

À medida em que os varejistas melhoram a experiência do cliente por meio do comércio omnichannel, eles descobrem que os fraudadores não estão muito atrás, e que já estão prontos para tirar proveito de quaisquer pontos fracos.

Veja os principais riscos de fraude que o varejo omnichannel de hoje precisa conhecer.

Fraude de Canal Cruzado

Os consumidores estão descobrindo que, após os fraudadores roubarem suas informações de identificação pessoal de um canal, eles usam estes dados para cometer fraudes em outro canal. Considere a crescente demanda dos clientes por pedidos de ‘tenho que ter agora’. Muitos comerciantes permitem que os clientes façam pedidos online e os retirem na loja física. Infelizmente, alguns destes varejistas não exigem que o cliente apresente o cartão de crédito usado para a transação - ou mesmo algum outro tipo de identificação - para obter os produtos.

Os fraudadores aproveitam esse lapso de segurança e usam dados roubados para comprar produtos online de alto valor e recolher os mesmos na loja, muitas vezes antes que o titular do cartão perceba que sua conta foi comprometida.

Fraude de teste de cartão

Depois de comprar cartões de crédito roubados em mercado paralelo, os fraudadores testarão os cartões com pequenas compras em alguns sites. Se a compra for concluída, o fraudador começará a fazer grandes compras.

Fraude na devolução

Está se tornando cada vez mais comum os fraudadores pedirem itens de alto valor (como joias ou eletrônicos) pela internet, remover ou trocar os componentes caros e depois devolver o item em sua embalagem original para a loja.

Fraude Móvel

Com o aumento das compras online em dispositivos móveis – nos EUA, por exemplo, o comércio eletrônico móvel já representa mais de 50% das vendas online – , os fraudadores também voltaram sua atenção para este segmento. Por exemplo, se um fraudador puder obter acesso ao aplicativo bancário ou comercial de um cliente, ele poderá assumir o controle desse aplicativo e fazer compras fraudulentas.

Os fraudadores também podem usar serviços premium de SMS para cobrar mensagens de texto caras diretamente na fatura da vítima.

Como reduzir os riscos de fraude

Quando se trata de minimizar o risco, há muitas coisas que um varejista de comércio eletrônico pode fazer.

Controlar a fraude em todos os canais

Quando os comerciantes de comércio eletrônico rastreiam a fraude em todos os canais, eles conseguem identificar e reforçar os pontos fracos de seu gerenciamento de fraudes.

Implementar multifatores de autenticação

À medida que a tecnologia evolui na velocidade da luz, os comerciantes podem considerar a inclusão de autorização multifatorial em seu processo de login, exigindo que os clientes insiram duas ou mais credenciais independentes – como uma combinação de tokens de segurança, verificações biométricas e senhas, por exemplo.

Invista em uma solução robusta de prevenção

Os varejistas de e-commerce simplesmente precisam investir em um sistema de gerenciamento de fraudes que lhes permita gerenciar, monitorar e analisar todas as transações em qualquer canal, aplicando grandes quantidades de dados históricos para identificar ocorrências sutis e emergentes de fraude.

Em vez de usar filtros básicos de fraudes – o que pode acabar tornando o seu site menos seguro se estiver em camadas inadequadas – ou usar a tecnologia desatualizada que deixa o site de comércio omnichannel vulnerável a novas ameaças, considere implementar uma solução que use o melhor da análise humana e Inteligência Artificial.

A consequência do equilíbrio perfeito entre tecnologia e mão de obra especializada é dividida entre experiência de usuário perfeita para os clientes, abordagem mais precisa para a detecção de fraudes e capacidade de aumentar as vendas com segurança.

Na ClearSale, por exemplo, usamos exatamente esta abordagem: uma combinação de tecnologia avançada de detecção de fraudes reforçada com uma equipe de analistas experientes e ultra especializados, criando um poderoso mecanismo que permite aos comerciantes ficarem sempre um passo à frente dos fraudadores.

*Artigo escrito por Bruno Farinelli, gerente de Análise de Fraudes da ClearSale USA, com a colaboração de Felipe Tchilian.

Título

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.