12/08/2019 •
2 min. de leitura

Tentativas de fraude no e-commerce diminuem no primeiro semestre de 2019

Segundo levantamento da ClearSale, houve uma diminuição de 5,90% em relação ao mesmo período do ano passado

 
 

Resumo do post:

- Números gerais sobre a fraude no primeiro semestre

- Categorias de produtos que mais sofreram ataques

- Ataques de fraude por regiões do Brasil

- Dicas de boas práticas contra fraudes

A ClearSale divulgou na última semana um estudo sobre as tentativas de fraude no primeiro semestre de 2019. Os números revelam que, a cada R$ 100 gastos em lojas online, R$ 3,06 sofreram tentativas de fraude. Uma diminuição de 5,9% em relação ao mesmo período no ano passado.

Para Omar Jarouche, diretor de Marketing, Planejamento Comercial e Soluções da ClearSale, a diminuição significa uma recuperação do e-commerce em relação às fraudes. “Temos observado no mercado que cada vez mais as empresas buscam soluções especializadas para evitar fraudes em seus negócios. Existem casos nos quais o pequeno empreendedor chega à falência devido a uma má compra. É necessário que tanto os clientes quanto os consumidores se protejam”, diz ele.

Categorias mais visadas

O segmento de smartphones aparece como o mais visado pelos fraudadores, seguido por games, bebidas, eletrônicos e informática. “O fraudador busca por produtos com uma maior liquidez. Celulares, por exemplo, são mais fáceis de vender do que uma geladeira. Costumamos dizer que ele escolhe pelo o que é mais simples de repassar em frente a uma escola, por exemplo”, finaliza Jarouche.

Já as regiões do país que mais sofrem tentativas de fraudes seguem as mesmas de antes. Em primeiro lugar, a região Norte (R$ 5,43 a cada R$ 100), seguida pela região Centro-Oeste (R$ 4,52), Nordeste (R$ 4,42), Sudeste (R$ 2,81) e Sul (R$ 1,57).

Dicas de boas práticas contra fraudes

1. Pesquise a reputação da loja antes de realizar a compra. O consumidor pode checar a lista do Procon de sites que devem ser evitados ou sites que avaliam as lojas. Caso não existam avaliações da empresa na internet, o recomendado é evitar efetuar a compra e buscar um outro site de confiança.

2. Averigue se o site tem a sigla "https" no endereço da Web ou um ícone de cadeado na parte inferior do navegador.

3. Suspeite se o desconto for muito maior no boleto. É comum que sites falsos tenham preços muito mais baixos para pagamento via boleto.

4. Procure dados oficiais da empresa como CNPJ, endereço físico e contato. Sites de e-commerce falsos podem não disponibilizar essas informações.

Conteúdo relacionado:

Antifraude: como garantir segurança e evitar prejuízos no e-commerce

E-commerce deve faturar R$ 2,7 bilhões com compras de Dia dos Pais

Chargeback: saiba como evitá-lo no comércio eletrônico

Relatório Neotrust é o censo do comércio eletrônico brasileiro

Converse agora com os nossos especialistas em segurança:

Ao fornecer suas informações, você declara estar ciente de nossa Política de Privacidade e aceita que a ClearSale envie informativos, ofertas e outros materiais.

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.

Assine nossa newsletter

Ao fornecer suas informações, você declara estar ciente de nossa Política de Privacidade e aceita que a ClearSale envie informativos, ofertas e outros materiais.