29/03/2017 •
2 min. de leitura

Como combater a fraude sem prejudicar a experiência do seu consumidor

Com a maior ameaça de fraudes, muitos varejos têm procurado um serviço de alta proteção, que acaba deixando a experiência do consumidor em segundo plano. Processos de finalização complicados e múltiplas camadas de verificação deixam o website mais seguro, mas também menos conveniente e mais incômodo ao fazer uma compra.

 

Com isso em mente, o que você pode fazer para manter seus consumidores felizes e neutralizar fraudadores em potencial? A resposta tem como base sua habilidade de executar uma estratégia de prevenção à fraude cuidadosamente planejada com flexibilidade e de mente aberta.

Flexibilidade

Sistemas de detecção de fraudes muito rígidos podem levar à lentidão na resposta ao pedido ou à grande quantidade de reprovações indevidas. Se isso acontece, você encara um novo problema: consumidores insatisfeitos que deixam seu website para comprar na concorrência.

A melhor aposta é munir-se antecipadamente com o máximo de informações do consumidor e do mercado para que você esteja pronto quando um consumidor for comprar na sua loja virtual.

Isso pode envolver algum trabalho da sua parte. Por exemplo, uma boa prática é a coleta de dados de transações aprovadas e reprovadas para comparar novos pedidos aos dois perfis de dados. Você também pode conectar-se a uma rede de proteção à fraude, que pode oferecer dados de vários comerciantes.

Além disso, ficar por dentro de novos padrões de fraude em geral – seja por meio de seu próprio relatório, ou por meio de uma parceria com um serviço especializado em proteção a fraudes – ajudará para que você não seja pego de surpresa.
Seu objetivo final é munir-se de dados para tomar decisões mais embasadas do que um sistema de segurança fechado teria a capacidade de tomar.

Mente Aberta

Ficar de olho nos sinais de alerta de fraude é um aspecto importante para ficar à frente da ameaça, mas ter flexibilidade em seu sistema de proteção pode ajudar muito a manter um serviço ao consumidor positivo.
Em outras palavras, um sinal de alerta deve ser exatamente como seu nome – uma indicação de que uma transação pode ser fraudulenta, não uma prova definitiva de que é, de fato, fraudulenta.

Rejeitar automaticamente um pedido de compra internacional, ou um pedido de endereços diferentes para cobrança e recebimento, por exemplo, pode levar à perda de consumidores. Estes são sinais de perigo sim, mas eles exigem uma inspeção cautelosa antes que uma decisão final seja tomada.

Enquanto seu sistema de proteção contra a fraude virtual deve, certamente, alertá-lo de pedidos suspeitos, estes sinais devem alertar para uma investigação aprofundada ao invés do cancelamento do pedido, o que pode levar ao término da relação com o consumidor.

O objetivo é oferecer a experiência ideal ao consumidor – tão segura quanto conveniente.

Como seria essa experiência? Começaria com um serviço de prevenção a fraude virtual compreensivo que combina a análise humana experiente com análise automática computadorizada. Isso trará a você um mundo de informações, muito além de sua experiência interna.

O resultado será um procedimento de carrinho de compras que não é atolado por transações rejeitadas, telefonemas de confirmação ou procedimentos exagerados de autenticação, e que não é seguido pelo trabalho importuno que é a remediação de fraudes.

Se sua proteção a fraude não se encaixa neste cenário ideal, fale conosco para aprender mais sobre como podemos ajudá-lo a chegar lá.

Título

Escrito por

Posts de convidados da Clearsale.