19/05/2021 •
2 min. de leitura

Fraude: entenda o que é e saiba quais são os principais tipos

Crime cada vez mais recorrente faz com que diversos setores lutem contra as mentes criativas dos fraudadores.

 

 
 

É inegável que a transformação digital e o constante avanço tecnológico tornaram o dia a dia dos seres humanos mais prático. O problema, no entanto, é que criminosos também enxergam muitas possibilidades nesse cenário do mundo contemporâneo.

A fraude e os golpes na internet, por exemplo, tornaram-se recorrentes nos mais diversos segmentos, principalmente pela mente cada vez mais criativa dos fraudadores. Isso acontece, sobretudo, devido à instabilidade associada à compra por meio dos e-commerces, que, consequentemente, afetam a confiabilidade e inibem a entrada de novos consumidores no setor, prejudicando a expansão e captação de futuros clientes. 

Muito mais do que simplesmente uma pessoa roubando dados atrás de um computador, o universo da fraude é complexo e requer um olhar especializado para uma boa prevenção. Continue a leitura do nosso post e saiba o que é fraude e os principais tipos. Boa leitura!

O que é fraude?

A fraude é um ato ardiloso, enganoso e de má-fé que tem o objetivo de lesar ou ludibriar outrem para trazer algum tipo de vantagem, geralmente financeira, ao fraudador sobre a vítima. A fraude abrange um universo complexo, de diferentes naturezas de crimes e penas, previstas no artigo 171 do Código Penal Brasileiro. Ela pode causar danos irreparáveis à vítima, sejam eles financeiros, psicológicos ou até mesmo de imagem.

Tipos mais comuns de fraude

A fraude é feita por meio de inúmeros métodos e das mais variadas formas. É um crime dinâmico e que pode ter variações dia após dia. No entanto, alguns tipos de fraudes podem ser considerados mais comuns, ou mesmo a base para todas as outras variações. A seguir, conheça os principais tipos!

Boletos falsos

A falsificação desse tipo de meio de pagamento tem se tornado cada vez mais comum no Brasil. Nessa modalidade, que vai desde a manipulação do código de barras do documento até a criação de páginas falsas que oferecem o download do boleto, o dinheiro cai diretamente na conta do golpista e a vítima fica com o prejuízo.

Roubo de dados em sites falsos

Algumas quadrilhas especializadas criam sites falsos, idênticos aos verdadeiros, para roubar dados sensíveis de pessoas idôneas. Com esses dados, posteriormente, as quadrilhas conseguem efetivar os mais variados tipos de fraudes. Portanto, fique muito atento com pedidos de recadastramento, trocas de senha não programadas ou links suspeitos.

Compras de linhas telefônicas

Muitos golpistas gostam de usar dados de pessoas íntegras para contratar linhas de telefone fixo ou móvel, pois, dessa forma, conseguem ter comprovantes de residência (ainda que falsos) necessários para efetivar outros tipos de fraudes, como aberturas de empresas, pedidos de empréstimos e contratações de financiamentos.

Aberturas de empresas

Com os dados e o comprovante de residência em nome de uma pessoa honesta, os fraudadores conseguem até mesmo abrir empresas em nome dessas vítimas, que passam a ser, mesmo que involuntariamente, as pessoas popularmente conhecidas como 'laranjas'. De posse desses empreendimentos de fachada, os fraudadores passam a poder cometer crimes que envolvem valores muito maiores.

Pedidos de empréstimos e financiamentos

Quando se tem uma empresa aberta e aparentemente sem qualquer irregularidade, há uma possibilidade maior de se conseguir empréstimos e financiamentos de valores maiores, ainda mais quando os dados e documentos utilizados estão em nome de pessoas idôneas. Com isso, os fraudadores tomam posse do dinheiro e jamais pagam por isso, deixando o prejuízo e a dor de cabeça às empresas e às pessoas físicas.

Cartilha vendas seguras na internet

Tipos de fraudes no e-commerce

Devido à expansão das transações comerciais na internet e ao aumento das compras realizadas no e-commerce, esse tipo de negócio se tornou um alvo fácil dos criminosos. De modo geral, os fraudadores se interessam ​em dados financeiros ou itens caros para revender, mas existem alguns artifícios mais frequentes no e-commerce. Entenda! 

Uso da identidade de outra pessoa

O roubo de identidade é um dos crimes mais praticados há anos. Nesse tipo de fraude, o criminoso se passa por outra pessoa e utiliza dados da identidade de terceiros com o intuito de realizar compras em nome da vítima.

Normalmente, esses dados são obtidos de forma eletrônica e o proprietário do cartão não reconhece a compra, solicitando o reembolso para sua operadora. Porém, muitas vezes, a loja só recebe essa informação após o despacho do produto, arcando integralmente com o prejuízo.

Pedido de estorno

Esse tipo de golpe acontece quando o criminoso realiza uma compra no site da loja munido do cartão da vítima. No entanto, depois de receber o produto, ele entra em contato com a instituição financeira e declara ter sido vítima de um golpe, solicitando o estorno do cartão de crédito. Dessa forma, a loja virtual faz a devolução do dinheiro, viabilizando o “estorno indevido” para o golpista.

Interceptação de mercadorias

Em geral, a fraude de interceptação acontece de duas formas. A primeira é quando o responsável pelo ato ilegal altera o endereço de entrega que o comprador legítimo registrou no site do e-commerce. Já a segunda se dá no caso em que o golpista toma conhecimento da data e do momento de entrega do produto e se passa pelo destinatário, ou avisa que o morador não se encontra em casa. Então, ele assina o termo de recebimento em nome da vítima.

Controle da conta do usuário

Nesse tipo de fraude, o autor do golpe tem acesso à conta do usuário no site da loja online. Esse acesso permite a alteração do endereço de entrega do destinatário final da mercadoria, assim como a obtenção dos dados bancários da vítima, facilitando a ação dos criminosos.

Phishing

O phishing, também chamado de pesca de dados, é uma das ações fraudulentas que mais crescem no ambiente online. Ocorre quando o criminoso envia e-mail aos usuários com alguma oferta exclusiva. Tratando-se, contudo, de mensagens com links falsos.

Ao entrar no link, o navegador é redirecionado para páginas adulteradas contendo malwares que se instalam na máquina da vítima. A partir daí, a vítima corre o risco de exposição de seus dados pessoais, gerando transações bancárias indevidas e não autorizadas.

Fraude das páginas clonadas

A fraude das páginas clonadas acontece quando os hackers invadem o site da loja e alteram o link de compra, direcionando o usuário para uma página falsa sem ele perceber, pois o layout é idêntico ao original. Dessa forma, a vítima insere seus dados e o pagamento é desviado após a transação. Além disso, os dados financeiros ficam gravados pelo criminoso.

Botnets

Um botnet é um conjunto de dispositivos conectados à internet, infectados por malware, que possibilita que hackers os controlem. No ato fraudulento, os criminosos utilizam os botnets para atividades mal-intencionadas em uma rede privada de computadores, como vazamentos de credenciais, acessos não autorizados, roubo de dados e ataques por negação de serviço distribuído que causam inatividade não planejada da aplicação.

Triangulação

Na fraude de triangulação, o criminoso cria uma loja virtual falsa e oferece produtos com grande procura no mercado e com preços mais baixos, a fim de obter dados e informações das vítimas e utilizá-los posteriormente. Assim, os produtos são revendidos em nome de outra pessoa.

Fraude amiga

A fraude amiga ocorre quando alguém próximo ao titular do cartão, parentes ou amigos, conhecedor de senhas, dados bancários e demais informações necessárias, faz uma compra sem o consentimento do proprietário do cartão. Ao receber sua fatura, o titular do cartão não reconhece a compra e entra em contato com a instituição financeira do cartão para rejeitar a compra, gerando um chargeback.

Autofraude

Enquanto os demais tipos de fraudes no e-commerce são causados por terceiros, a autofraude é uma ação realizada pelo próprio dono do cartão. Nesse caso, ele realiza a compra online e, dentro do prazo da instituição financeira (180 dias), contesta a negociação, alegando que não fez a compra, mesmo já tendo recebido o produto. 

Fraude de afiliada

Essa atividade fraudulenta é gerada por uma afiliada na tentativa de gerar receita ilegítima. Ou seja, são criados cenários fictícios para induzir determinados estabelecimentos comerciais a pagarem comissões indevidamente a falsos afiliados que teriam direito a comissões sobre vendas.

Teste de cartão

Ocorre quando os criminosos utilizam as lojas virtuais para testar informações do cartão de pagamento que estão em seu poder. O propósito é “testar” os cartões para descobrir se eles estão bloqueados ou cancelados, e se os limites de crédito foram atingidos.

Como se proteger das fraudes?

Como todos os tipos de crime, quem não toma alguns cuidados está sempre mais sujeito a ser uma vítima. No caso da fraude, principalmente para empresas, é fundamental que se busque um parceiro especializado na gestão antifraude do negócio.

Contar com a expertise na gestão antifraude, como a oferecida pela ClearSale, é fundamental para manter os fraudadores distantes. Abrir mão desse tipo de serviço é assumir um alto risco.

Os cibercriminosos de hoje são inteligentes — às vezes mais inteligentes do que sistemas de prevenção a fraudes. Depois de identificar uma vulnerabilidade, a empresa é exposta, a palavra se espalha e os fraudadores entram em ação. E os danos financeiros podem ser rápidos e desastrosos.

A notícia sobre a fraqueza de um sistema se espalha e os fraudadores podem atacar simultaneamente um negócio — levando tudo o que podem, até que a segurança acabe com a brecha. Portanto, os fraudadores sempre estão em busca do ponto mais vulnerável e não há tempo a perder para buscar uma proteção eficiente.

Conheça algumas formas de se proteger da ação dos criminosos e de oferecer mais segurança aos seus clientes!

Sistema antifraude

As empresas precisam garantir que não são o ponto mais vulnerável dessa cadeia. A atitude mais recomendável é investir em parceiros especializados em soluções antifraude que possam entregar uma visão completa sobre a fraude de identidade, com muito conhecimento do comportamento dos fraudadores e com toda a expertise de décadas de atuação.

Nesse caso, utiliza-se o machine learning (aprendizado de máquina), que bloqueia compras que apresentam ações suspeitas e autoriza os pedidos de clientes, os quais possuem um padrão de consumo que informa os dados considerados seguros.

Preservar bons clientes

Uma tarefa importante no combate a fraudes é preservar quem não é fraudador. Quando se pensa em promover confiança nas transações e, consequentemente, em oferecer a melhor experiência possível, rapidamente se percebe que isso é mais importante do que simplesmente barrar a fraude.

Somente barrar a fraude, aliás, é fácil. Uma loja que reprova todos os pedidos com traços minimamente fora de padrões vai, inevitavelmente, barrar bons clientes também, o que pode causar mais prejuízo do que uma fraude.

Monitorar indicadores

A efetividade do trabalho contra a fraude deve ser medida com os indicadores corretos. No caso do e-commerce, por exemplo, taxa de aprovação, tempo de resposta e chargeback precisam estar em equilíbrio. Se um destes indicadores não estiver bom, o trabalho de combate a fraudes está pouco efetivo.

Inovação contínua

No segmento de gestão de risco, é preciso analisar continuamente as próprias decisões e ter a consciência de que um bom consumidor é a parte mais sensível nessa relação. Dessa forma, é missão dos profissionais dessa área e de todas as empresas compartilhar seus conhecimentos e procurar formas de estar um passo à frente dos fraudadores.

Como funciona o antifraude da ClearSale?

A ClearSale vai muito além do combate a fraudes, ajudando a criar e rastrear os indicadores que auxiliam as empresas no processo de expansão dos negócios. Nossa abordagem exclusiva para prevenção de fraudes significa que não apenas impedimos a ocorrência de fraudes, mas também aprovamos mais pedidos legítimos, o que ajuda a aumentar suas vendas.

Combinamos a avançada tecnologia das inteligências estatística e artificial com a maior equipe do mundo de analistas especializados em fraudes, para oferecer uma abordagem equilibrada e diferente de qualquer outra coisa disponível no mercado.

Desde a nossa fundação, em 2001, nos dedicamos a inovar constantemente para otimizar e aperfeiçoar nossos processos, com objetivo de reduzir fraudes e falsos-positivos, ao mesmo tempo em que o varejista aumenta vendas, receita e satisfação do cliente.

Como vimos, entender o que é fraude e os principais tipos é fundamental para manter o devido funcionamento do negócio e a lucratividade das vendas. Portanto, não deixe de utilizar essas dicas e os recursos disponíveis para proteger o seu empreendimento e o seu cliente, ficando sempre atento às novidades do setor. Afinal, as habilidades e a criatividade dos criminosos também tendem a se renovar continuamente.

Gostou do nosso artigo? Então, aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais, assim você ajuda os seus amigos a também ficarem por dentro do assunto!

Fale com nossos especialistas antifraude:

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.