7/02/2018 •
5 min. de leitura

O Que é a Economia da API?

Cada dia mais e mais a nossa sociedade está se tornando uma sociedade digital onde o mundo virtual e o mundo físico caminham juntos e todos estão conectados. As APIs fazem com que a sociedade digital e os negócios digitais trabalhem juntos. Conectando pessoas, empresas e coisas, criando novos produtos digitais, modelos de negócios orientados a serviços e novos canais de negócios.

 

As APIs fazem parte do nosso dia-a-dia: no envio de mensagens nas redes sociais, na chamada do táxi via aplicativo, na compra online ou no simples ato de ler uma noticia em seu smartphone, tudo isso é feito através de APIs. Nós vivemos na era da economia das APIs.

 

O que são API's?

Segundo a Wikipedia, Interface de Programação de Aplicações, cujo acrônimo API provém do Inglês Application Programming Interface, é um conjunto de rotinas e padrões estabelecidos por um software para a utilização das suas funcionalidades por aplicativos que não pretendem envolver-se em detalhes da implementação do software, mas apenas usar seus serviços.

Já o Gartner define, APIs como componentes de software que (em termos de operações, entradas, saídas e tipos de dados subjacentes) implementam uma função independente do seu aplicativo. Sendo acessíveis somente por programação.

Eu costumo ilustrar que APIs são como tomadas na parede, onde você conecta seu aparelho, consome a energia e paga pelo consumo. Então vamos imaginar tomadas que você possa conectar seus aplicativos e consumir, serviço de envio sms, transferencia de dinheiro para um amigo ou mesmo receber notícias de seu jornal preferido.

 

Economia

Podemos definir economia como:

Ciência, processo ou sistema pelo qual são produzidos, distribuídos e vendidos bens de consumo e serviços, em um país ou região.

Traduzindo para mundo das APIs, os produtos são as APIs, que geralmente não tem limitação de país ou região, ou seja, um mercado global, porque é acessado pela internet.

Segundo o Gartner, a maior parte do dinheiro gerado pela economia da API não é, gerada cobrando o uso diretamente das APIs. A receita é gerada através das oportunidades de negócios habilitadas pelas APIs e nas construções de aplicativos que consomem essas APIs, sendo que muitas vezes essas APIs são gratuitas, pelo menos inicialmente. Na economia da API, a maioria dos produtos e serviços já existiam e eram vendidos por canais tradicionais, bem antes das conversas sobre economia da API.

Eu gosto muito da definição do Gartner para economia da API:

Um conjunto de modelos de negócio e canais, baseado no acesso seguro de funcionalidades e troca de dados para um ecossistema de desenvolvedores e aos usuários dos aplicativos construídos por eles, através de uma API, seja dentro de uma empresa ou na Internet com parceiros de negócios e clientes.

Com as APIs ficou muito mais fácil para empresas expandirem o potencial de seus negócios e focarem no core business de suas empresas.

 

Estratégia

As APIs podem ser usadas estrategicamente para potencializar os produtos de duas formas:

1 — Agregando funcionalidades necessárias para seu negócio

Vamos pensar em um e-commerce, como é uma loja online você precisa de uma ferramenta de anti-fraude, para aumentar a sua receita (menos cancelamento de compras por fraude, mais receita), o dono e-commerce tem duas opções:

1) construir uma ferramenta de anti-fraude; ou

2) contratar o serviço de uma ferramenta de anti-fraude. Se ele optar essa opção, ele integrará a ferramenta de anti-fraude (por exemplo a ClearSale :D ) com o seu e-commerce via API e pagará pelo serviço.

Outro exemplo, um banco começou agora a aceitar pedidos de cartão de crédito pela seu portal na internet, mas ele precisa avaliar o crédito do futuro cliente antes de mandar emitir o cartão. Neste cenário o banco não conhece seus clientes digitais e não sabe ainda como avaliar o crédito de clientes. Então ele contrata um serviço para lhe ajudar a avaliar potencial de crédito (Digital Trust Index por exemplo) desses futuros clientes. E conecta esse serviço no seu portal via API.

Existem mais um zilhão de exemplos e serviços e produtos que podem potencializar os produtos da empresas.

2 — Criando um ecossistema digital de novos negócios

Aqui nós podemos usar exemplo do Salesforce, empresa CRM, que criou seu produto com APIs públicas, permitindo que outros desenvolvedores criassem novos produtos com base no Saleforce ou agregassem novas funcionalidades. Com isso, criou-se um marketplace de produtos e funcionalidades para Saleforce, ou seja, um comercio onde você pode comprar novas funções ou serviços que turbinem o produto core.

A imagem abaixo ilustra como seria um marketplace de API para bancos.

Gartner

*Gartner

O Gartner também recomenda que para o sucesso do seu projeto de APIs, principalmente se você quer criar um ecossistema em torno da sua plataforma digital, que crie o papel de gerente de produto de API. Que terá o foco em reunir e gerenciar os requisitos dos clientes e as estratégias da API.

OBS. Com certeza, poderão existir outras maneiras de potencializar o seu negócio via API. Foquei nessas duas, por sua maior popularidade.

 

Modelos de Negócios

Existem muitas variações de modelos de negócios para monetização de APIs. Abaixo quero falar de alguns:

Gratuita

As APIs gratuitas podem estar ligadas a um modelo de valor indireto, pelo qual a organização provedor ganha alguma vantagem (vendendo mais de seus produtos convencionais, por exemplo) quando um canal API gratuito está aberto.

Freemiun

Gratuito por um período de tempo ou quantidade de uso e depois disso é cobrado um valor mensal (ou modelo de assinatura ou pagamento por uso).

Freqüentemente esse modelo é usado para evoluir de um modelo gratuito. E também usado como estratégia de conversão de usuários. Permitindo que o usuário teste sem ter custo.

Assinatura

Os clientes assinam um plano de valor fixo mensal, que normalmente tem um nível predefinido de uso da API mensalmente. Conforme o uso vai aumentando o cliente faz upgrade de plano.

Os planos podem estar vinculados ao número de requisições ou volume de dados transacionados.

Muitas vezes é combinado com outros modelos como freemium ou pay-per-use.

Pay-per-use

Você paga pelo consumo direto da API. Pode ser por número de requisições ou dados consumidos. Você pode fazer associação com energia elétrica, quando mais você usa, mais você paga.

Participação em receita

Você ganha com o seu cliente. Está relacionado normalmente ao valor de transação de vendas. Muito utilizado por gateways de pagamento. Por exemplo, quando o e-commerce vende um tênis, 6% do valor do tênis fica para o gateway de pagamento.

Pay for Enhanced Service

Semelhante ao modelo freemium, mas com a diferença que no serviço gratuito, a qualidade é inferior. O cliente paga para ter acesso a recursos com maior qualidade. Por exemplo, maior velocidade na requisição, acesso a imagens de alta resolução e etc.

É extremamente importante você avaliar o perfil do usuário para lhe ajudar na definição da estratégia de monetização da API. A imagem abaixo ilustra bem esse cuidado.

Gasrtner1

*Gartner

 

Conclusão

APIs estão contribuindo para que a nossa sociedade se torne mais digital, onde o mundo virtual e o mundo físico caminham juntos e todos estão conectados.

Muitas empresas estão digitalizando seus negócios com ajuda das APIs, seja para criar um ecossistema em torno de seu negócio ou para agregar novas funcionalidade commodities ou especialistas fora do core business da empresa.

Outras empresas estão criando produtos que só podem ser consumidos através de APIs. Com foco total no B2B.

Existem muitas oportunidades para novos produtos e serviços, com uma boa estratégia é possível estar bem posicionado nesse mercado e discutir sobre novas idéias.

Por favor deixem seus comentários e caso queiram discutir mais sobre o assunto ou tirarem dúvidas, podem entrar em contato pelas mídias sociais. Grande abraço e até a próxima!

 

*Artigo escrito pelo nosso Gerente de Produtos, William dos Santos de Oliveira, postado originalmente na plataforma Medium.

Título

Escrito por

Posts de convidados da Clearsale.