14/08/2020 •
2 min. de leitura

Dia dos Pais: varejo online tem mais de R$ 65 mi em fraudes evitadas

Na comparação com a mesma data de 2019, faturamento do segmento cresceu mais de 95%, chegando a R$ 5,4 bi. Confira todos os números!

 

O varejo digital, mais uma vez, aparece como a opção predileta dos brasileiros ao consumir durante a pandemia. Dessa vez, o auge do varejo eletrônico pôde ser comprovado no Dia dos Pais: a data movimentou R$ 5,4 bilhões para o comércio digital, em um crescimento nominal de 95,4% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os dados foram apurados pela Neotrust/Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce, entre os dias 25 de julho e 8 de agosto. De acordo com a análise da companhia, o montante é resultado da maior quantidade de compras feitas pela internet nesse período. Ao todo, foram 13,3 milhões, aumento de 89,4% em relação ao mesmo intervalo de tempo em 2019.

“Mesmo com a reabertura parcial das lojas físicas e grandes shoppings, o resultado de vendas do Dia dos Pais comprova que o varejo online consolidou sua posição de destaque em 2020 e manterá patamares de vendas elevados mesmo após o término da pandemia e possível chegada de uma vacina.”, explica André Dias, CEO da Neotrust/Compre&Confie.

Presentes mais caros

A proximidade do varejo digital e a distância física dos pais fizeram com que os brasileiros investissem até mesmo em presentes mais caros para essa data. De acordo com a companhia, o tíquete médio registrado este ano foi de R$ 403 – valor 3,2% superior ao registrado no ano passado.

Perfil dos compradores

Em relação ao perfil dos compradores, a companhia mostra que os consumidores de 36 a 50 anos foram os que mais fizeram compras pela internet no período (responderam por 36% de todos os pedidos realizados).

Em seguida, estão os de 26 a 35 anos (31,4%) e, nas últimas posições, estão tanto os mais jovens quanto os mais velhos: consumidores de até 25 anos e os com mais de 51 anos responderam por igual porcentagem de volume de compras (16,3% cada).

Categorias mais compradas

As categorias mais compradas em volume durante o período foram: Moda e Acessórios, Beleza e Perfumaria e Esporte e Lazer. Já as que mais movimentaram o faturamento foram Telefonia, Eletrodomésticos e Moda e Acessórios.

Fraudes

Durante o período, foram evitados R$ 65,6 milhões em fraudes, de acordo com a ClearSale. O valor é 57% maior do que o registrado no Dia dos Pais do ano passado. No entanto, apesar do aumento, a curva não acompanha o número total de pedidos. Ou seja, os pedidos bons também aumentaram e superam as tentativas de fraudes.

A pandemia faz com que os fraudadores também aprimorem seus métodos e formas de ataque, mas ainda seguem buscando produtos que sejam de fácil transporte e garantam um bom valor na revenda.

“É importante que tanto o lojista como o cliente estejam atentos a esse risco e ajam de forma a evitar ataques. O consumidor deve proteger seus dados sensíveis, como CPF e dados bancários, e os varejistas devem adotar soluções antifraude para que não barrem bons pedidos”, destaca Omar Jarouche, diretor de Soluções da Clearsale.

Entre as categorias com maior índice de fraudes, os celulares seguem no topo do ranking como o produto mais visado pelos fraudadores, seguido por ar condicionado e eletrônicos.

Sobre a Neotrust | Compre&Confie:

Com metodologia inovadora e única no mundo, a Neotrust busca oferecer decisões assertivas e inteligência de mercado através de relatórios, análises e Dashboard exclusivos, contando com a maior base de dados reais de grande parte dos varejistas brasileiros. A Neotrust faz parte da Compre&Confie, aceleradora do T.Group, holding multinacional formada a partir dos negócios gerados pela ClearSale.

Título

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.