29/08/2017 •
2 min. de leitura

O big bang das Fintechs no mercado financeiro

Uma das palavras mais escutadas no mercado empresarial nunca foi tão aplicada e exercida ultimamente quanto a inovação. Startups vem quebrando paradigmas e mostrando cada vez mais o quanto novos olhares e apostas, podem mudar de vez a forma como o consumidor lida com determinados mercados.

 

E um dos últimos segmentos a passar por transformações, e talvez o que mais precisava, foi o bancário.

As famosas Fintechs já funcionam à todo vapor, com grandes propostas para uma verdadeira revolução na experiência do usuário, em um setor que ainda abriga altos índices de reclamação por morosidade de procedimentos e altas taxas de serviços. Porém, esta corrida não é disputada apenas pelas Fintechs. Os próprios bancos estão começando a se mexer e entender que alguns tipos de práticas devem ficar no passado, como limitações digitais interativas e o confinamento de alguns processos com resolução exclusiva em agências, por exemplo.

MOVIMENTAÇÃO DO MERCADO

Para quem acredita que este mercado ainda está engatinhando, pesquisas sobre seus avanços já apontam uma régua alta de crescimento e expectativas para os próximos anos. Segundo um estudo feito pela Fintechlab, alguns dos segmentos de atuação mapeados estão entre Meios de Pagamento, Seguros (mais conhecidas como Insurtechs), Funding, Empréstimos e Gestão Financeira.

Nos últimos anos este mercado já recebeu investimentos de mais de R$ 1 bilhão de reais e, das 200 empresas brasileiras deste ramo reconhecidas pela pesquisa, algumas delas já superam a casa de R$ 1 milhão de reais em faturamento.


O consumidor, com certeza, só tem a ganhar com isso e já pode se deparar com alguns cases de sucesso como Nubank, Moip e GuiaBolso.
Estaé uma pesquisa cheia de detalhes para quem quiser saber muito mais sobre este novo cenário de negócios, por isso deixaremos o link aqui para você conferir mais: Clicando aqui

NOVIDADES ATRAEM FRAUDADORES

Um ponto de atenção, também muito importante citado nesta pesquisa, é o quanto o aumento destes serviços online, que ainda estão em fase de experimentação de modelos de trabalho, podem multiplicar canais de ataques fraudulentos. O Brasil é um dos países mais arriscados do mundo em compras/transações online (como mostram os últimos estudos de Mapa da Fraude (link para download) da ClearSale, portanto prevenir-se nunca é demais.

Com orçamento enxuto e proposta de extrema agilidade em seus processos, para barrar fraudes Fintechs, geralmente, munem-se de diversos modelos analíticos e tecnologias de automatização de análise de pedidos, para que acelere decisões com a maior taxa de assertividade possível. Unidos a esta ideia, Scores baseados em Machine Learning (Inteligência Artificial), Behaviour Analytics e no comportamento do consumidor nas transações online, são uma grande aposta da ClearSale, que vem trabalhando diariamente, em conjunto com as próprias Fintechs, em um projeto totalmente adaptado a realidade deste mercado.

“A união de empresas que nasceram no mundo digital, a ClearSale e as Fintechs, tem tudo para dar certo. Temos 85% do marketshare de e-commerce do Brasil e uma base única com 98% de todos os CPFs utilizados neste mercado, que é uma inteligência de mercado mais do que suficiente, para travar esta batalha com as Fintechs contra os fraudadores e resguardar o bom consumidor” ressalta o nosso gerente de Produtos do setor financeiro, Eduardo Date.

Título

Escrito por

Posts de convidados da Clearsale.