11/09/2020 •
2 min. de leitura

Black Friday: pandemia elevará busca por lojas online. Veja 5 dicas

Mais do que nunca, vendas pela internet devem atrair a atenção dos consumidores nas principais datas para o comércio no fim do ano

 

*artigo de Rafael Lourenço, vice-presidente executivo da ClearSale USA

Após um fim de ano de ótimos resultados em 2019, os lojistas online não tinham motivos para pensar que a Black Friday e a Cyber ​​Monday de 2020 seriam menos empolgantes. Mas que diferença um ano faz.

Graças à contínua ameaça da pandemia do novo coronavírus, os compradores de fim de ano podem ter menos probabilidade de se juntar à multidão em lojas físicas - isto é, se elas estiverem mesmo abertas.

Nos EUA, por exemplo, varejistas como Target e Walmart estão optando por permanecer fechados no Dia de Ação de Graças, encerrando uma longa tradição de começar as compras da Black Friday um pouco mais cedo. Inúmeros varejistas estão esperando e observando de perto as restrições de capacidade local e a contagem de casos de Covid para tomar uma decisão.

Metade dos consumidores dos EUA já está dizendo que a pandemia afetará suas compras de Natal neste ano, com muitos consumidores optando por fazer compras no conforto de suas casas em vez de lutar contra a agitação das multidões em pessoa, em um comportamento que tende a se replicar em outras partes do mundo.

Assim, à medida em que os varejistas tradicionais repensam as vendas durante os feriados, os comerciantes online precisam reavaliar sua abordagem para atrair clientes na Black Friday e na Cyber ​​Monday.

Por isso, aqui estão cinco estratégias que os e-commerces podem começar a implementar hoje para garantir que possam aproveitar ao máximo tudo o que esses grandes dias de compras podem trazer.

1. Planeje com antecedência

Estar pronto para a corrida das compras sazonais significa planejar com antecedência. Claro, suas ofertas podem não ser lançadas até a Black Friday, mas muitos varejistas começam a oferecer "aperitivos" em seus negócios já em outubro para atrair o interesse dos consumidores.

Portanto, comece agora desenvolver suas ofertas especiais, pacotes de produtos e estratégias de publicidade, para que você tenha tempo de alinhar tudo perfeitamente. E não se esqueça do seu marketing - leva tempo para que o conteúdo seja indexado pelos mecanismos de pesquisa. Crie esse conteúdo agora e passe os próximos meses direcionando tráfego para eles com sua mídia social e e-mail.

Dessa forma, quando os clientes começarem a pesquisar, você estará no topo da memória - e, com sorte, no topo dos resultados do mecanismo de pesquisa.

2. Mantenha seu catálogo de produtos atualizado

Enquanto você está focado no marketing, não se esqueça das páginas do produto. Com mais e mais clientes pesquisando - e depois comprando - seus produtos online, você precisa ter certeza de que os clientes descobrirão tudo o que desejam sobre os produtos que você oferece.

Vá até o seu catálogo de produtos agora para ter certeza de que as fotos e descrições estão atualizadas e robustas. E se você tiver locais físicos além de lojas online, deve otimizar o conteúdo para consultas locais.

3. Prepare e teste sua plataforma

Se você é um varejista que depende de compradores online para obter receita, o que acontecerá se sua plataforma de e-commerce não aguentar o provável aumento do tráfego? Se o seu site cair enquanto os compradores estão tentando fazer compras, você não apenas corre o risco de perder uma receita valiosa, mas também de alienar bons clientes que levam seus negócios para outro lugar - às vezes para sempre.

Portanto, certifique-se de ter otimizado sua plataforma para que ela possa gerenciar um aumento no tráfego (e que você tenha um plano de backup sólido em vigor no caso de sofrer um tempo de inatividade) e carregue rapidamente. Afinal, os estudos mostram que mesmo um atraso de dois segundos no tempo de carregamento pode resultar na redução das conversões em 60%.

4. Ofereça incentivos personalizados

Os clientes gostam de se sentir especiais - ainda mais perto das férias. Então, por que não segmentar sua lista de e-mail agora e direcioná-la com base em seus hábitos de compras anteriores? Embora um código de desconto enviado para toda a sua lista de e-mail possa incentivar os clientes, também é um pouco genérico. Considere enviar ofertas com base no que eles compraram antes - e no que provavelmente comprarão novamente.

5. Minimize o risco de fraudes

Os varejistas de comércio eletrônico que também têm uma loja física podem achar que essa mudança para as compras online os afetará ainda mais. Com as margens de lucro nas vendas online geralmente de 50% a 80% do que os comerciantes ganham nas compras na loja, os varejistas de e-commerce têm que trabalhar mais para atrair e reter clientes e obter a mesma receita.

E com os clientes preocupados com a segurança de seus dados pessoais confidenciais que enviam em cada compra online, é ainda mais importante para os varejistas online mostrarem que levam a sério as fraudes. Quando você implementa uma combinação robusta de inteligência artificial avançada com análise humana especializada, é possível, pode ter certeza de que está aprovando com segurança todos os bons pedidos, e reprovando apenas e tão somente o que é realmente uma tentativa de fraude.

Título

Escrito por

Posts de convidados da Clearsale.