5/04/2021 •
2 min. de leitura

ClearCast: Threat Intelligence é o tema do Papo 10 deste mês

Conceito, que vem do inglês, significa inteligência de ameaças, e pode ser o diferencial para a segurança da sua empresa. Saiba mais!

 
 

clearcast

Você sabe o que é Threat Intelligence? Na tradução literal do inglês, o termo significa algo como “inteligência de ameaças”. A ideia do conceito é englobar tudo o que envolve medidas necessárias para a prevenção de ataques cibernéticos e para mitigar os efeitos causados por eles em uma organização.

Confira o trailer no YouTube

A Threat Intelligence usa conhecimento baseado na evidência, incluindo contextos, mecanismos, indicadores e implicações sobre os riscos existentes ou emergentes. Ela é baseada em uma espécie de efeito de rede do bem, com compartilhamento constante de informações e experiências que ajudem na prevenção, detecção e solução de problemas relativos aos ataques de crackers, fraudadores e outros tipos de criminosos da internet.

O objetivo maior é profissionalizar a coleta e a análise de informações que podem balizar decisões táticas e estratégicas para lidar com as ameaças. Para isso, há de se considerar, obviamente, as especificidade de cada modelo de negócio e suas respectivas ameaças, mas sem nunca perder de vista que uma ameaça, ainda que pareça distante, nunca deve ser desprezada.

Nesta edição do Papo 10, convidamos Fernando Hoppe, Head de Negócios do ThreatX, da ClearSale, para nos explicar mais sobre o tema e como a sua empresa pode utilizar essa expertise para prevenir e combater ataques de fraudadores e cibercriminosos.

Ouça o 3º episódio do Papo 10!

Converse agora com os nossos especialistas em segurança:

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.