11/12/2019 •
2 min. de leitura

Mais de R$ 500 milhões em fraudes são evitados no e-commerce no 3º trimestre

 

Valor de fraudes evitadas aumentou 83% em comparação ao mesmo período de 2018. Categoria de smartphones ainda tende a ser a mais atacada

 

 
 

Resumo do post:

- Valor de fraudes evitadas no 3º tri supera R$ 500 milhões

- Regiões que mais sofreram tentativas de fraude no período

- Categorias de produtos que foram mais atacadas

Comprar pela internet já é um hábito de consumo dos brasileiros. Com o crescimento das atividades online, há também uma atenção maior das empresas para evitar que as fraudes ocorram. Um levantamento realizado pela ClearSale aponta que R$ 500.939.672,12 em fraudes foram evitadas entre julho e setembro deste ano, 83% a mais do que o mesmo período de 2018, quando foram registrados mais de R$ 274 milhões.

Divisão por regiões do Brasil

Na comparação por regiões, o Sudeste figura como a região com o maior valor de fraudes evitadas, 55%, e mais de R$ 92 milhões, seguido do Nordeste, 23%, Centro-Oeste e Sul, com 9% cada, e Norte, 5%. O levantamento analisou as compras realizadas pela internet, pagas com cartão de crédito e com valor máximo de R$ 100 mil, nos meses de julho, agosto e setembro de 2018 e 2019.

A alta é reflexo do aumento da quantidade de pedidos, que cresceu 34% no período, além do aperfeiçoamento constante nos processos antifraude realizados pela ClearSale. Para o levantamento foram analisados mais de R$ 4 bilhões em compras pela internet.

“Atualizamos e ajustamos constantemente nossos modelos de análises antifraude, tanto com a utilização de novas tecnologias, como o uso de novos elementos de inteligência de estatística. Isso possibilita aprimorarmos o perfil de comportamento de compras dos clientes e a identificarmos vulnerabilidades nos processos de compras”, explica Omar Jarouche, diretor de Soluções da ClearSale.

Categorias mais atacadas por fraudadores

A compra de celulares concentra o maior registro de tentativa de fraude, com 9,61%%, seguido por Games, 6,36%, Bebidas, 5,10%, Eletrônicos, 4,66% e Itens de Informática, 4,29%. Os produtos mais visados são aqueles com maior facilidade de serem repassados ao mercado paralelo, como os smartphones, categoria que conta com lançamentos constantemente e alta demanda dos consumidores.

“Para evitar que fraudes ocorram, é importante sempre manter boas práticas na internet e um olhar vigilante, como o uso de senhas fortes, checar a procedência de e-mails e de mensagens recebidas no celular”, destaca Jarouche.

Para não ser vítima de fraudes, o consumidor deve evitar realizar compras em sites suspeitos, e preferir o cartão de crédito como forma de pagamento. Ao optar por esse método em vez do boleto ou transferência bancária, o cliente consegue contestar a cobrança junto ao banco, o que não é possível com os outros métodos.

Conteúdo relacionado:

Conheça algumas tendências do comércio mobile para 2020

ClearCast: tendências já são realidade - Veja o que foi mostrado no Web Summit

ClearSale participa de relatório sobre tendências de fraude no e-commerce

Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD): tudo o que você precisa saber

Converse agora com os nossos especialistas em segurança:

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.