17/06/2020 •
2 min. de leitura

Dia dos Namorados: varejo online evita R$ 77 milhões em fraudes

Foram 15,8 milhões de compras realizadas, com um faturamento de mais de R$ 6,45 bilhões, aumento de 115,8% em relação ao ano passado

 
 

Os corações apaixonados não se abalaram pelo isolamento social e presentearam bastante no Dia dos Namorados. De acordo com dados coletados pelo Compre&Confie, empresa do grupo ClearSale focada em inteligência de mercado no e-commerce, foram realizadas 15,8 milhões de compras online entre 28 de maio e 12 de junho, número 112,8% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado). Os pedidos renderam faturamento de R$ 6,45 bilhões – 115,8% mais do que em 2019.

“Com a pandemia, consumidores trouxeram cada vez mais seu consumo para o ambiente digital, gerando aumento significativo de pedidos e de faturamento. É possível notar essa tendência desde o Dia do Consumidor, em março, e Dia das Mães, recentemente. Acredito que vamos continuar observando esse aumento massivo de compras durante todo o ano”, afirma André Dias, diretor executivo do Compre&Confie.

Categorias

Ainda de acordo com o estudo, as categorias de produtos mais vendidas em volume foram: Moda e Acessórios, Entretenimento, Artigos para Casa, Beleza & Perfumaria e Informática & Câmeras.

Faixa etária

Os consumidores entre 36 e 50 anos foram os que mais compraram em volume (responsáveis por 33,9% das compras feitas no período). Em seguida estão os de 26 a 25 anos (31,7%), os de até 25 anos (19%) e, por fim, os que têm mais de 51 anos (15,4%).

Regiões

No topo das regiões que mais venderam está o Sudeste (66,7% dos pedidos feitos), seguido pelo Nordeste (14,4%) e Sul (11,5%). Centro-Oeste e Norte ocupam as últimas colocações, com 5,3% e 2,1%, respectivamente.

Fraudes

Com o aumento das vendas, cresce também o número de tentativas de fraudes. De acordo com a ClearSale, os prejuízos evitados ao comércio eletrônico na data foram de R$ 77,4 milhões, valor 43% maior que o registrado no Dia dos Namorados de 2019.,

Em um momento em que muitas pequenas e médias empresas migram para o ambiente virtual, devido ao fechamento do comércio físico imposto pelo novo coronavírus, é importante que fiquem atentos também ao risco de fraudes nas operações.

Ao contrário do que se imagina, o prejuízo das compras fraudadas não fica com a emissora do cartão de crédito, mas sim com o varejista, o que pode impactar na gestão do negócio.

“Por isso é importante que a loja virtual conte com uma solução antifraude contratada, ou no caso de optar por trabalhar com marketplaces, questionar como funciona a análise e o chargeback dos pedidos”, orienta Omar Jarouche, diretor de Soluções da ClearSale.

Conteúdo relacionado:

Phishing: confira 8 dicas para se proteger

Veja como fugir das fraudes na web em tempos de coronavírus

Golpes na internet: conheça os principais

Threat Intelligence: o que você precisa saber

Converse agora com os nossos especialistas em segurança:

Ao fornecer suas informações, você declara estar ciente de nossa Política de Privacidade e aceita que a ClearSale envie informativos, ofertas e outros materiais.

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.

Assine nossa newsletter

Ao fornecer suas informações, você declara estar ciente de nossa Política de Privacidade e aceita que a ClearSale envie informativos, ofertas e outros materiais.