17/06/2020 •
2 min. de leitura

Dia dos Namorados: varejo online evita R$ 77 milhões em fraudes

Foram 15,8 milhões de compras realizadas, com um faturamento de mais de R$ 6,45 bilhões, aumento de 115,8% em relação ao ano passado

 
 

Os corações apaixonados não se abalaram pelo isolamento social e presentearam bastante no Dia dos Namorados. De acordo com dados coletados pelo Compre&Confie, empresa do grupo ClearSale focada em inteligência de mercado no e-commerce, foram realizadas 15,8 milhões de compras online entre 28 de maio e 12 de junho, número 112,8% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado). Os pedidos renderam faturamento de R$ 6,45 bilhões – 115,8% mais do que em 2019.

“Com a pandemia, consumidores trouxeram cada vez mais seu consumo para o ambiente digital, gerando aumento significativo de pedidos e de faturamento. É possível notar essa tendência desde o Dia do Consumidor, em março, e Dia das Mães, recentemente. Acredito que vamos continuar observando esse aumento massivo de compras durante todo o ano”, afirma André Dias, diretor executivo do Compre&Confie.

Categorias

Ainda de acordo com o estudo, as categorias de produtos mais vendidas em volume foram: Moda e Acessórios, Entretenimento, Artigos para Casa, Beleza & Perfumaria e Informática & Câmeras.

Faixa etária

Os consumidores entre 36 e 50 anos foram os que mais compraram em volume (responsáveis por 33,9% das compras feitas no período). Em seguida estão os de 26 a 25 anos (31,7%), os de até 25 anos (19%) e, por fim, os que têm mais de 51 anos (15,4%).

Regiões

No topo das regiões que mais venderam está o Sudeste (66,7% dos pedidos feitos), seguido pelo Nordeste (14,4%) e Sul (11,5%). Centro-Oeste e Norte ocupam as últimas colocações, com 5,3% e 2,1%, respectivamente.

Fraudes

Com o aumento das vendas, cresce também o número de tentativas de fraudes. De acordo com a ClearSale, os prejuízos evitados ao comércio eletrônico na data foram de R$ 77,4 milhões, valor 43% maior que o registrado no Dia dos Namorados de 2019.,

Em um momento em que muitas pequenas e médias empresas migram para o ambiente virtual, devido ao fechamento do comércio físico imposto pelo novo coronavírus, é importante que fiquem atentos também ao risco de fraudes nas operações.

Ao contrário do que se imagina, o prejuízo das compras fraudadas não fica com a emissora do cartão de crédito, mas sim com o varejista, o que pode impactar na gestão do negócio.

“Por isso é importante que a loja virtual conte com uma solução antifraude contratada, ou no caso de optar por trabalhar com marketplaces, questionar como funciona a análise e o chargeback dos pedidos”, orienta Omar Jarouche, diretor de Soluções da ClearSale.

Conteúdo relacionado:

Phishing: confira 8 dicas para se proteger

Veja como fugir das fraudes na web em tempos de coronavírus

Golpes na internet: conheça os principais

Threat Intelligence: o que você precisa saber

Título

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.