4/05/2020 •
4 min. de leitura

Emissão de cartões online exige cuidados para evitar fraudes

Apesar de trazer mais segurança do que os cartões convencionais, ambiente digital traz outras oportunidades para fraudadores

 
 

A criação do cartão de crédito transformou o conceito de pagamento em todo o mundo. Com o surgimento e crescimento do e-commerce, a importância do cartão de crédito disparou também no mundo digital, já que oferece rapidez, praticidade, comodidade e, idealmente, segurança em todo o processo.

Cartões virtuais

O aprimoramento de novas tecnologias, somado às novas necessidades do varejo e dos consumidores, fez com que a emissão de cartões pudesse ser feita de maneira totalmente virtual, sem que o cartão precise existir fisicamente para funcionar, o que tornou todo o processo mais rápido e com menos inconveniências em cada etapa.

Embora ainda não exista um estudo específico sobre o mercado de cartões virtuais, a Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito) estima que o mercado de cartões, na comparação com 2019, deve ter um crescimento de 24% no volume transacionado em 2020, o que deve movimentar cerca de R$ 2,3 trilhões. E, segundo os executivos do setor, este crescimento será puxado, principalmente, pelos cartões online e pelas carteiras digitais

Fraudes na emissão de cartões online

Assim como acontece na emissão de cartões de créditos convencionais, a fraude mais comum na emissão de cartões online é a de identidade, que acontece quando o fraudador consegue, ilegalmente, ter acesso a dados sensíveis de um cidadão, como senhas, endereços, CPF, etc, para se passar por ele na hora de solicitar um novo cartão ao emissor.

Ainda que os cartões online não sejam vulneráveis à clonagem, como é o caso dos cartões físicos, a fraude de identidade ainda é um adversário presente no trabalho das instituições financeiras quando recebem a solicitação para emitir um cartão virtual.

ClearSale é destaque em relatório mundial de sucesso de fintechs

Isso acontece porque os fraudadores buscam meios cada vez mais sofisticados para desenvolver técnicas de engenharia social e phishing, que são as formas mais comuns de se obter dados corretos de um cidadão de bem. E é justamente por estes dados serem verdadeiros que pode ser muito difícil de se identificar uma fraude no ato da solicitação de um cartão virtual.

E quando essa fraude não é identificada a tempo, os fraudadores conseguem emitir este tipo de cartão em nome de outras pessoas e passam a utilizá-lo para fazer compras, contratar serviços e, obviamente, gerar inúmeros e incontáveis prejuízos à população e às instituições financeiras.

Prejuízos com fraudes neste segmento

Como dito anteriormente neste artigo, a fraude de identidade é a grande vilã da emissão de cartões online. Segundo o ABI Research, o Brasil tem o maior índice de fraudes de identidade da América Latina. Dados da Fecomércio mostram que o país tem R$ 60 bilhões em prejuízos oriundos deste tipo de crime a cada ano.

As fraudes dificultam a manutenção da melhor experiência dos usuários e cria diversos problemas relacionados à imagem de uma instituição, o que pode levar a perdas maiores do que o prejuízo financeiro propriamente dito, principalmente em tempos nos quais a reverberação de reclamações ganhou rapidez e escala por meio das redes sociais.

Além disso, a alta incidência de fraudes de identidade faz com que instituições financeiras acabem reprovando muitos pedidos de cartões, o que, inevitavelmente, faz com que bons consumidores tenham suas solicitações recusadas e que as instituições deixem de obter bons resultados para os negócios.

Como evitar fraudes na emissão de cartões

A inovação contínua é condição básica para o desenvolvimento de sistemas eficientes de segurança. Ferramentas modernas – Inteligência Artificial, Machine Learning, Behavior Analytics, etc – tornam possível calibrar sistemas sofisticados com dados para mapear o comportamento de indivíduos no mundo digital nos mínimos detalhes.

Ao combinar esta tecnologia com mão de obra ultra especializada, cria-se um sistema antifraude que entrega muita eficiência com pouquíssimo tempo de resposta.

Vale lembrar que estudos recentes de consultorias mostram que os investimentos das instituições financeiras em soluções contra fraudes de identidade vão chegar a US$ 10,4 bilhões até 2023.

Soluções modernas já estão no mercado

O mercado já conta com soluções de empresas especializadas em combate a fraudes que são capazes de otimizar a identificação de ameaças, gerar rapidez na investigação de alertas e na correção de problemas e podem reduzir significativamente a incidência de falsos-positivos nas análises de cada solicitação.

Para evitar fraudes, além de todas as práticas de segurança comuns a todas as instituições financeiras hoje em dia, é fundamental ir além e buscar parceiros que conheçam a ação de fraudadores nos mais minuciosos detalhes, incluindo o contexto de cada transação e das tentativas de fraudes em cada uma delas.

Como a ClearSale pode ajudar

Nós temos uma solução, chamada Digital Card Issuer, que ajuda bancos, fintechs, financeiras, administradoras de cartão e cooperativas de crédito a evitar fraudes na emissão de cartões online.

Com o Digita Card Issuer, sua empresa conta com um score de propensão à fraude e análise de capacidade creditícia com base nos dados cadastrais e no comportamento do consumidor no ambiente digital, além de uma equipe especializada em detecção de fraude para avaliar os casos suspeitos.

Desta forma, conseguimos ajudar o mercado financeiro a ter melhores resultados, menos prejuízos, menor tempo de resposta e, consequentemente, oferecer uma melhor e mais segura experiência a cada um de seus clientes.

Conteúdo relacionado:

Banco do Futuro: como bancos têm usado tecnologia para se aproximar do consumidor

Open Banking: o que é, como funciona e como ele pode mudar o mercado financeiro

Instituições financeiras têm evolução com o uso de soluções antifraude

ClearCast: fraudes causam prejuízos no mercado financeiro

Converse agora com os nossos especialistas em segurança:

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.