13/05/2019 •
2 min. de leitura

Ações simples podem evitar fraudes em seu comércio eletrônico

Crescimento do e-commerce faz com que tentativas de fraude aumentem na mesma proporção. Veja como não ser mais uma vítima.

 

Resumo do post

- Cenário do e-commerce gera interesse de fraudadores

- Medidas proativas são fundamentais para garantir segurança

- Conheça boas práticas de mercado contra fraudes

O cenário mundial de expansão do comércio eletrônico faz com que o número de tentativas de fraude cresça na mesma proporção.

Dados atuais mostram que apenas nos EUA, maior varejo eletrônico do mundo, a fraude custa aos varejistas mais de US$ 13,4 bilhões por ano, o que representa mais de 5% da receita total do setor.

Diante disso, tomar medidas proativas para evitar fraudes é uma das melhores defesas do varejo. Veja a seguir seis etapas que ajudam muito neste processo.

Trate protocolos de segurança com seriedade

Antes que um criminoso possa cometer fraudes com dados de cartões de crédito roubados, ele precisa ter acesso a estas informações.

Os protocolos que estabelecem padrões de segurança ajudam a manter varejo e consumidor seguros, garantindo que as transações ocorram em um ambiente protegido.

O objetivo é proteger dados confidenciais de cartões de consumidores antes que ocorra a fraude. Qualquer comerciante que aceite pagamentos com cartão de crédito deve estar em conformidade com protocolos de segurança da web.

Lembre-se: a conformidade com protocolos de segurança é a primeira linha de defesa contra fraudadores em uma loja virtual.

Utilize sistemas de autenticação

Uma ótima maneira de verificar a autenticidade de uma compra é o Valor de Verificação do Cartão (CVV), que é uma efetiva medida de proteção contra fraudes. O código de três dígitos na parte de trás de um cartão de crédito prova que o usuário está segurando fisicamente o cartão. Certifique-se de que as compras incluam o CVV como parte do processo de pagamento.

Empregue Análise Preditiva

Se você está procurando por táticas de prevenção contra fraudes com um pouco de energia extra, a análise preditiva é uma ferramenta importante no seu kit de ferramentas de proteção contra fraudes.

Como o nome sugere, a modelagem preditiva estabelece e atribui valores a diferentes aspectos de uma transação. A previsão de modelagem combina detalhes do comprador – como endereço de e-mail, endereço IP, faturamento e endereço de entrega – com detalhes do pedido para produzir uma pontuação que indique a probabilidade de fraude.

Esta pontuação de fraude é semelhante à pontuação de crédito. Certos fatores fazem com que a pontuação suba ou desça, criando assim um perfil financeiro que indique o nível de risco a um credor.

A análise preditiva e as pontuações de fraude podem fornecer informações importantes à análise de uma transação. Mas a fraude é mais do que apenas um número, e as análises nem sempre contam toda a história. Use a pontuação de fraude como um dos fatores, mas não o único, para ajudar a identificar pedidos fraudulentos.

Peça senhas fortes

Para muitos consumidores, as configurações da conta são uma dor de cabeça. Em um esforço para acelerar o registro e fazer uma compra, os consumidores geralmente usam senhas fracas, o que é muito perigoso.

Senhas fortes são vitais para proteger os dados do cliente e reduzir as compras falsas, pois muitas pessoas usam e reutilizam o mesmo e-mail e senhas em várias contas. Por exemplo, se um hacker invadir uma conta na loja, não será um grande esforço para tentar a mesma combinação de senha e e-mail para invadir contas mais confidenciais, como transações bancárias, etc.

Como prática recomendada, é necessário um mínimo de oito caracteres, incluindo o uso de letras maiúsculas e minúsculas, além de números e caracteres especiais. Como alternativa, adicione autenticação de dois fatores ao negócio.

Monitore, de perto, seus indicadores

À medida que o negócio se expande, inevitavelmente fica mais difícil gerenciar todos os indicadores dele. Mas, ainda assim, é preciso ser possível detectar, rapidamente, quando algo está errado.

Avalie o desempenho do sistema de prevenção a fraudes monitorando os principais KPIs de um comércio eletrônico. Isso inclui taxas de aprovação de pedidos, taxas de cobrança retroativa, taxas de revisão manual, taxas de declínio automático, etc.

Cuidado com a autofraude

A autofraude – aquela que acontece quando a pessoa faz a compra, recebe o produto e, ainda assim, pede estorno – é uma das mais difíceis de se detectar, pois o criminoso utiliza dados limpos e verdadeiros.

No entanto, alguns cuidados podem dificultar a vida dos fraudadores que optam por esta modalidade de crime. Usar números de rastreamento para todas as entregas e exigir a assinatura do destinatário no ato da entrega são exemplos de boas práticas para evitar a autofraude.

Utilize uma solução de proteção contra fraudes

Fraude é uma parte indesejada da administração de um negócio online, mas não é uma parte com a qual o varejista tenha que conviver, desde que se mantenha sempre à frente daqueles que desejam prejudicar a empresa e seus clientes, respectivamente.

Como boa prática, mantenha seus sistemas atualizados e certifique-se de que você e sua equipe estejam cientes das ameaças mais recentes e das ferramentas disponíveis para combatê-las.

Por fim, conte com uma abordagem minuciosa e multicamadas para fazer a gestão de risco, pois assim você manterá seus clientes satisfeitos e seguros, além de garantir que não há brechas para a atuação de fraudadores em seu negócio.

Conteúdo relacionado:

Taxa de aprovação de pedidos no e-commerce: entenda a importância

Como otimizar o processo de autenticação de identidade de usuário 

Chargeback: saiba o que é, quais os riscos e como evitá-lo

Título

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.