21/12/2021 •
2 min. de leitura

Clonagem de cartão de crédito: entenda como funciona e como se proteger

Você sabe como funciona a clonagem do cartão de crédito? Leia nosso post para ficar por dentro das atitudes que facilitam a clonagem e como se proteger desse tipo de fraude.

 
 

Todo mundo conhece alguém que teve o cartão de crédito clonado. Essa informação parece exagero, mas é real. Segundo uma pesquisa recente do PoderData, 21% dos brasileiros foram vítimas da clonagem de cartão de crédito, incluindo pessoas físicas e empresas. E esse número tem crescido ainda mais nos últimos anos.

Como esse pode ser um problema sério para seus clientes, sua empresa precisa estar preparada e tomar os cuidados necessários. Isso porque, mesmo que golpistas busquem maneiras diferentes de atuar, você pode manter seus consumidores protegidos com algumas ações simples.

Além disso, as bandeiras de cartão estão mais atentas a esse tipo de crime e contam com algumas tecnologias que fazem a diferença, como a autenticação de dois fatores.

Quer saber um pouco mais sobre o assunto e o que fazer para evitar esse transtorno? Continue a leitura deste artigo e evite a clonagem de cartão de crédito!

Como funciona a clonagem de cartão de crédito?

A clonagem de cartão de crédito pode acontecer de diversas maneiras. Uma possibilidade é pelo phishing, uma fraude eletrônica em que golpistas usam e-mail, SMS ou sites falsos para roubar dados.

Eles também podem tirar fotos de cartões utilizados em estabelecimentos para usar as informações em seguida. Outra forma comum, é aproveitar fotos na internet que pessoas desavisadas acabam postando de seus cartões, além de dados pessoais, por não terem plena consciência do risco que isso causa.

Além disso, os criminosos atacam bancos de dados de empresas. Dessa maneira, acessam informações de pagamento e senhas para facilitar a cópia. Por fim, as maquininhas de cartões também podem ser adulteradas e, assim, clonar as informações do usuário durante uma transação.

Quais atitudes facilitam a clonagem?

Algumas atitudes são certeiras para facilitar a clonagem de cartão de crédito. Confira quais são elas e oriente seus clientes a respeito das ações a evitar na hora de realizar compras presenciais ou online.

Confiar em ofertas abaixo do valor de mercado

É comum procurar por descontos e ofertas. Afinal, todo mundo quer economizar. Mas se o valor está muito abaixo do mercado, é importante abrir o olho e fazer uma pesquisa mais aprofundada.

Muitos golpistas anunciam produtos falsos e pedem formas duvidosas de pagamento para que uma pessoa acabe fornecendo dados sem perceber. É sempre bom que os consumidores optem por sites seguros e pagamentos protegidos para evitar a surpresa da fraude.

Enviar dados e fotos por apps e redes sociais

Há muitas pessoas desatentas que divulgam dados e fotos de cartões em redes sociais. É importante lembrar que esse é um ambiente público, que pode ser consultado ou invadido com facilidade, então é bom evitar deixar esse tipo de informação por lá.

Além disso, vale ter atenção com os aplicativos que pedem a foto de documentos bancários. Alguns solicitam o envio de documentos pessoais, como o RG, mas isso deve ser o máximo: qualquer coisa a mais é sinal de preocupação.

Acessar links e sites suspeitos

Vale sempre desconfiar de sites e links que chegam por e-mail, SMS e WhatsApp, em especial quando a pessoa não conhece o número ou o remetente.

Com apenas um clique ou toque, você pode abrir espaço para a invasão de um hacker ou a transferência de informações pessoais a um golpista. Não clique antes de verificar as condições da mensagem: se houver erros de português ou se a empresa não é familiar para você, as chances de fraude são altas.

Fazer cadastros em aplicativos não conhecidos

É preciso evitar cadastrar dados pessoais em sites e aplicativos que não são conhecidos. Muitos deles são desenvolvidos por criminosos apenas para roubar dados. Cuidado ao baixar e, se não for um aplicativo de compra, mas houver a solicitação de dados bancários, não preencha nada.

Como se proteger desse tipo de fraude?

E então, o que fazer para se proteger desse tipo de fraude? Evitar ter o cartão clonado é mais simples do que parece. As providências a seguir são bastante úteis!

Ativar a verificação em duas etapas

A verificação em duas etapas, também chamada de autenticação de dois fatores, é um método em que o usuário só consegue usar o cartão e acessar a conta depois de apresentar duas "provas" de que é ele mesmo. Isso acontece por meio da senha, o primeiro fator, e de um código, o segundo fator.

O código expira rapidamente. Portanto, quando o cartão está sincronizado com essa autenticação, o seu titular recebe em seu celular o número para autorizar a movimentação no cartão. Sem ele, é impossível concluir a compra.

Ter um cartão digital

É bom ativar o cartão digital. Essa é uma função que todo usuário de cartão de crédito tem para comprar online com mais segurança. O número do cartão virtual muda de tempos em tempos, enquanto o cartão físico conserva sempre os mesmos.

Com esse sistema, caso a compra ou o chargeback seja uma fraude, os criminosos não poderão reaproveitar as informações para fazer novas compras e prosseguir com o golpe.

Não compartilhar informações do cartão

Esta é uma dica de ouro: como já dissemos antes, é importante nunca tirar foto do cartão de crédito e publicar nas redes sociais ou enviar por e-mail ou aplicativos de mensagens, como WhatsApp. Os criminosos podem hackear as páginas ou simplesmente acessá-las e obter as informações necessárias para usar os dados.

Ativar avisos via mensagem ou e-mail de transações realizadas

No aplicativo do cartão, é possível ativar avisos via mensagem ou e-mail sobre transações realizadas. O comunicado é emitido em tempo real, com o valor da compra e o local em que ela foi realizada.

Consultar seu extrato diariamente

Não custa nada acessar seu aplicativo de banco e verificar seus dados todos os dias. Esse é um procedimento simples, mas que ajuda a identificar qualquer anormalidade nas transações.

Prestar atenção nas transações presenciais

Alguns golpes de clonagem acontecem em transações presenciais. Um falso atendente pode tirar fotos da frente e do verso do cartão e fazer compras sem o consentimento do titular.

Ainda, o estabelecimento pode ter uma máquina adulterada, sem saber ou de má-fé. Dessa maneira, é muito importante comprar somente em lojas de confiança e acompanhar com muita atenção o processo de passar o cartão e digitar a senha.

E aí, conseguiu entender como funciona a clonagem de cartão de crédito? Agora que você está por dentro do assunto, previna-se e oriente seus clientes para que usem esse meio de pagamento com segurança.

Aproveite também para conhecer o Data Trust da Clear Sale, uma solução com o mais completo score antifraude do mercado!

Título

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.