24/07/2019 •
2 min. de leitura

Concessão de crédito mais segura ajuda bancos e protege clientes

Garantir a segurança de dados cadastrais e saber se eles pertencem, de fato, a quem solicita o crédito são fatores que beneficiam empresas e consumidores

 

Resumo do post:

- Como conceder crédito de  forma segura e saudável

- Detalhes do funcionamento deste processo

- Fraudes em concessão de crédito

- Impactos da fraude neste segmento e como se proteger

Conceder crédito é uma tarefa mais complexa do que pode parecer. Garantir uma análise que possibilite decisões saudáveis para o negócio e para os clientes requer muita expertise e cuidado com fatores extremamente sensíveis, como é o caso da segurança sob a qual todo o processo é realizado, principalmente no que diz respeito à prevenção a fraudes.

Data Trust é o novo produto da ClearSale para validação inteligente de cadastros

Fraudes em aberturas de contas preocupam bancos e fintechs no Brasil

 

Emissão de cartões online muda fraude no segmento e exige atenção de bancos

E, para alcançar a expertise que permite uma atuação eficiente e segura, é preciso, antes de qualquer coisa, conhecer em detalhes todos os passos do processo de concessão de crédito, inclusive aqueles que parecem mais óbvios, mas que podem conter especificidades relevantes para o funcionamento saudável de todo o processo que envolve este ecossistema.

Como funciona a concessão de crédito

Bancos e instituições financeiras que concedem crédito desenvolvem modelos que podem variar de acordo com as características do requerente, que é quem solicita o crédito. No entanto, alguns pontos são comuns a todas as instituições na hora de fazer a análise de crédito.

No caso de pessoas físicas, fatores como nome negativado, média salarial, tempo de registro em carteira de trabalho e coisas do gênero são os mais comuns, muito embora já existam hoje no mercado soluções diferenciadas, capazes de analisar o comportamento do requerente no mundo digital e de analisar a força dos vínculos entre os dados cadastrais informados, para fornecer ratings e insights que auxiliam a tomada de decisão segura sobre a concessão de crédito, com o diferencial de evitar fraudes ao mesmo tempo em que consumidores legítimos são protegidos.

Em casos nos quais os requerentes são empresas, costumam ser analisados os balanços patrimoniais e o fluxo de caixa, pois são bons indicadores do andamento da saúde financeira da organização.

Objetivo da análise de crédito

Basicamente, a ideia desta análise é dividida entre garantir que os dados informados pertencem, de fato, ao requerente, bem como medir a capacidade de um cliente honrar uma determinada dívida.

A partir desta análise, é possível avaliar as condições de pagamento e definir os valores que serão envolvidos na concessão do crédito, como o valor principal, a taxa de juros e o prazo de pagamento. Além disso, é uma forma de evitar o acúmulo de dívidas por parte de um cliente que busca mais crédito.

A análise de crédito tenta identificar, por meio do cruzamento de diversos tipos de dados, em qual nível de risco está a concessão, principalmente quanto à inadimplência. Atualmente, a análise de crédito é feita pela internet, por meio de grandes bancos de dados disponíveis. Tudo é feito em tempo real e de forma bem completa.

Fraudes em concessão de crédito

Empresas de todos os segmentos estão sujeitas a fraudes, e as instituições que fornecem crédito, obviamente, não estão livres deste mal, o que torna cada vez mais importante a busca por sistemas capazes de corrigir vulnerabilidades e dar mais segurança às operações.

A fraude mais comum na concessão de crédito é a de falsidade ideológica. Ou seja: fraudadores que fingem ser pessoas que eles não são. No entanto, o momento da concessão de crédito é somente a parte final deste crime, que já teve início na obtenção de dados de maneira ilegal pelos criminosos.

Impactos das fraudes neste segmento

Ao contrário do que vem imediatamente à mente, o prejuízo financeiro gerado pelo valor do crédito concedido a um fraudador não é, necessariamente, o maior impacto para as instituições financeiras. Custos operacionais de atendimento ao consumidor e de ações judiciais se somam aos danos de imagem para formar prejuízos que podem ser até 10 vezes maior do que o valor do crédito concedido indevidamente.

Como evitar fraudes na concessão de crédito

Bancos e fintechs têm investindo cada vez mais em tecnologias de Inteligência Artificial para soluções antifraude incluídas no processo de concessão de crédito – serão US$ 10,4 bilhões até 2023.

Soluções modernas são capazes de usar modelos preditivos baseados em ferramentas de Machine Learning e Behavior Analytics para otimizar a identificação de ameaças, gerar rapidez na investigação de alertas e na correção de problemas, o que reduz significativamente a incidência de falsos-positivos nas análises.

Dessa forma, o processo fica muito mais rápido e conveniente, tanto para as empresas quanto para os consumidores, com uma visão moderna sobre a importância da melhor experiência para o cliente legítimo.

Vale lembrar que uma análise de crédito cuidadosa faz com que todos os envolvidos no processo sejam beneficiados. No caso do cliente final, a certeza de que receberá um crédito condizente com suas possibilidades financeiras – com uma taxa de juros mais justa – é o principal ganho, enquanto as empresas ficam mais seguras de que terão retorno sobre o investimento que fazem ao conceder algum tipo de crédito a seus clientes, tornando o modelo de negócio lucrativo e sustentável.

Conteúdo relacionado:

Vazamentos de dados têm que despertar inconformismo de bancos e fintechs

Fraudes causam prejuízos milionários a bancos e outras instituições financeiras

Título

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.