16/01/2024 • 6 min. de leitura

Inteligência artificial e transformação digital: o futuro dos negócios impulsionado por dados

Desde a criação da roda e das primeiras ferramentas manuais, os seres humanos se ancoram na tecnologia para fomentar avanços na sociedade. Entretanto, nos últimos anos, estes avanços adquiriram um ritmo inédito na história da humanidade.

Avanços que levariam décadas, ou séculos, acontecem em poucos anos, e a transformação digital é um sintoma dessa sociedade cada vez mais dinâmica. Esse processo, que muda completamente a forma com que as empresas se relacionam com a tecnologia, surge como uma necessidade em um mercado faminto por inovação e agilidade.

Um dos pilares desse processo são os dados, que orientam as transformações necessárias para uma empresa que deseja se manter relevante na era digital, e a Inteligência Artificial é uma das principais formas de análise e otimização destes dados.

 

O que é e como surgiu a Inteligência Artificial

De forma resumida, a inteligência artificial é um campo da ciência, e um conjunto de tecnologias, que estuda e desenvolve máquinas que simulam uma “inteligência humana”, através da otimização e análise de grandes volumes de dados.

O conceito de Inteligência Artificial foi criado por Alan Turing, considerado o pai da computação, nos anos 50. Na década seguinte, estudos e experimentos foram feitos por diversos cientistas americanos e comprovaram as teorias de Turing.

A revolução da inteligência artificial na era digital

A inteligência artificial já está presente em nosso cotidiano há muito tempo, mas nos últimos anos, especialmente com a popularização do Chat GPT, essa tecnologia ganhou um aumento expressivo de visibilidade.

Seus princípios, como o Machine Learning, Deep Learning, Big Data, categorização de parâmetros, entre outros, já estavam presentes em diversos softwares e ferramentas, como as redes sociais e os mecanismos de busca, com seus algoritmos calibrados para oferecer uma experiência personalizada aos seus usuários. 

Mas com o uso de conceitos como o Processamento de Linguagem Natural (PLN), as IAs, que anteriormente atuavam nos bastidores das tecnologias, se tornaram protagonistas na transformação digital.

Esse conceito permite à máquina replicar os processos associados à linguagem humana, entendendo melhor a linguagem usada pelos usuários e fornecendo, assim, uma resposta mais natural e assertiva. Ela é amplamente utilizada no Chat GPT e nas assistentes virtuais como Siri e Alexa, por exemplo.

Nesta era digital, o grande volume de dados disponível potencializa a evolução das IAs, ao mesmo tempo que essas inteligências artificiais maximizam a análise e otimização desses dados, criando uma relação de cooperação mútua que favorece a tomada de decisões estratégicas e os avanços tecnológicos.

Por conta disso, as IAs estão extremamente presentes no mundo dos negócios da era digital. 

Seja através de Chatbots, sistemas de gestão de negócios automatizados ou proteções antifraude, essa tecnologia já deixou de ser uma tendência para o futuro e se tornou uma ferramenta essencial para qualquer negócio que deseja tomar decisões assertivas baseadas em dados e criar uma boa experiência para seus clientes e colaboradores.

Tipos de inteligência artificial

Por estarem presentes em inúmeras ferramentas, e atenderem a diferentes propósitos, existem diversos tipos de inteligência artificial. Elas podem ser classificadas em 4 tipos, de acordo com suas funcionalidades:

Máquinas reativas

É uma tecnologia de IA limitada, que funciona de acordo com regras pré-programadas e não possui memória, por isso, não pode aprender com novos dados e experiências. Este é o tipo mais antigo de inteligência artificial.

Memória limitada

Tipo da maior parte das IAs atualmente, as tecnologias com Memória Limitada são capazes de armazenar novos dados e aprender com eles, através de uma rede neural artificial ou outro modelo de treinamento. 

Teoria da Mente

Este tipo de inteligência artificial é somente uma teoria, ou seja, ainda não existe, mas pesquisas buscam entender e desenvolver melhor o conceito de Teoria da Mente. Ele descreve uma IA capaz de emular elementos complexos da mente humana, como a tomada de decisões e o reconhecimento de emoções.

Autoconhecimento

Assim como o tipo anterior, este tipo de IA ainda não existe e é apenas uma teoria, que estuda o conceito de inteligências artificiais que, além de reconhecerem emoções como um ser humano, são cientes da própria existência.

 

Como a transformação digital está sendo moldada pela inteligência artificial

Como citado anteriormente, os dados são um dos pilares da transformação digital, sendo extremamente necessários para a tomada de decisões estratégicas que orientem uma boa transição para o meio digital, e não apenas a digitalização de processos físicos.

Essa transição inclui todos os setores da empresa e não se trata apenas de uma mudança de processos, mas toda uma revisão e adaptação da cultura empresarial para o meio digital. E as inteligências artificiais são poderosas aliadas durante esse processo.

A evolução dessa tecnologia possibilitou um maior entendimento da linguagem (Processamento de Linguagem Natural) e, consequentemente, das necessidades dos usuários, possibilitando uma experiência mais personalizada e satisfatória para os clientes, outro pilar importante da transformação digital.

Tudo isso, em conjunto com o Machine Learning e Deep Learning, possibilita, também, a interpretação precisa de grandes volumes de dados, fornecendo uma modelagem preditiva, ou seja, previsões de resultados e cenários futuros que auxiliam muito na tomada de decisões estratégicas.

Além disso, as ferramentas de Inteligência Artificial aliadas a análise humana, voltadas para a segurança digital, como os sistemas de biometria mais recentes, a plataforma Data Trust e o ThreatX da ClearSale, garantem segurança para esse processo complexo que é a migração de uma empresa para o meio digital.

 

Benefícios e desafios da IA na Transformação Digital

Uma tecnologia tão inovadora e disruptiva como a inteligência artificial traz consigo diversos benefícios, mas também muitos desafios. A automação estratégica de processos, a redução de erros e os insights baseados em análises precisas de dados são alguns dos benefícios dessa tecnologia, que ainda assim precisa ser trabalhada em alguns pontos, como:

Ética e copyright nas IAs

Atualmente existe uma grande tendência no uso, por parte de empresas, das IAs que geram textos e imagens automaticamente, de acordo com parâmetros pré-estabelecidos pelo usuário. 

Ainda que isso otimize muito o tempo e os recursos da empresa, muitas dessas ferramentas utilizam como referência imagens e textos de outros profissionais, armazenados nos bancos de dados, para gerar o conteúdo pedido, sem dar os devidos créditos e compensações por esse uso.

Por isso, existem pesquisadores e empresas que estudam formas de utilizar essas referências nas IAs generativas com os devidos créditos e compensações financeiras.

Viés e preconceito na IA

Outra questão ética bastante discutida em relação às inteligências artificiais é o viés preconceituoso que elas podem ter. Isso não é uma exclusividade das IAs, mas reflete um preconceito embutido em diversas estruturas sociais.

Estudos revelam que sistemas de reconhecimento facial tendem a ser mais precisos em homens brancos, em comparação com mulheres e negros. O reconhecimento de voz também tem a tendência de funcionar melhor com vozes mais grossas.

Isso acontece porque, muitas vezes, os dados usados para alimentar as inteligências artificiais ou não representam a realidade ou trazem consigo preconceitos existentes nessa realidade.

Por isso, existem diversos pesquisadores que estudam formas de tornar a IA mais inclusiva e mitigar as propensões discriminatórias desta tecnologia.

As IAs vão substituir os trabalhadores?

Outra questão que surgiu, principalmente, com o aumento do uso das inteligências artificiais pelas empresas, é a preocupação que muitos trabalhadores têm dessa tecnologia substituí-los e acabar com seus empregos.

Assim como muitos outros avanços tecnológicos que mudaram a forma como produzimos, as IAs irão e já estão otimizando tarefas que anteriormente eram feitas manualmente. Entretanto, elas não conseguem funcionar sozinhas.

Ainda que elas sejam complexas e capazes de aprender e evoluir, as inteligências artificiais necessitam de uma supervisão e manutenção humana para funcionarem corretamente, além de não contarem com a criatividade e inovação que somente nós, seres humanos, possuímos.

Por isso, idealmente, a função das IAs não é substituir os trabalhadores, mas otimizar o trabalho e automatizar tarefas para que os trabalhadores consigam focar em demandas mais criativas e estratégicas.

A Clearsale possui diversas soluções que já utilizam a Inteligência Artificial para evitar fraudes, melhorar os processos de autenticação e tornar a transformação digital da sua empresa mais segura e confiável. Acesse o site e confira.

Título

Escrito por

A ClearSale é especialista em soluções antifraude nos mais diversos segmentos, como e-commerce, mercado financeiro, vendas diretas, telecomunicações e seguros, sendo pioneira no mapeamento do comportamento do consumidor digital. A empresa equilibra tecnologia e profissionais especializados para entregar os melhores indicadores aos clientes e movimentar o mercado com segurança e confiança.

Assine nossa newsletter

Ao fornecer suas informações, você declara estar ciente de nossa Política de Privacidade e aceita que a ClearSale envie informativos, ofertas e outros materiais.

Leitura em Libras