11/07/2022 •
2 min. de leitura

O que torna os sites vulneráveis? Veja como se proteger!

Leia nosso post para entender o que torna os sites vulneráveis, descubra como se proteger e veja como a solução ThreatX da ClearSale pode ser excelente para sua empresa!

 
 

Vazamento de dados, invasão de sites, golpes na internet... só de ouvir essas palavras dá até um arrepio, né? Especialmente se você é proprietário ou responde por uma empresa que comercializa produtos e serviços online.

Infelizmente, notícias envolvendo fraudes na internet são cada vez mais comuns. Mas você sabe o que torna os sites vulneráveis?

Neste conteúdo trazemos uma explicação completa sobre o assunto. E mais! Esclarecemos ainda quais são as principais vulnerabilidades e ensinamos boas práticas de segurança para evitar qualquer tipo de vazamento.

 O que torna os sites vulneráveis?

A resposta para essa pergunta é muito simples: qualquer falha na segurança. Ela pode ser derivada da má construção do site, de brechas nas integrações com instituições parceiras, da falta de um certificado de segurança, de problemas com a autenticação, entre outros.

Vale lembrar que à medida que a comercialização de produtos e serviços pela internet cresce, cibercriminosos desenvolvem mecanismos aprimorados e eficientes de aplicar golpes, trazendo novas preocupações e riscos aos empreendedores.

Nesse sentido, é preciso atenção constante a uma série de fatores e procurar qualquer ponto que prejudique a segurança do site e facilite a aproximação de pessoas externas aos dados privados ou, até mesmo, no controle do site.

A melhor saída para lidar com essa situação é agir mais rápido que o potencial criminoso, criando mecanismos de respostas à invasão e corrigindo possíveis problemas que causariam brechas na segurança.

Quais são as principais vulnerabilidades de um site?

Para que as vulnerabilidades sejam evitadas é importante conhecer as principais delas. Por isso, acompanhe a seguir.

Ataque de injeção

Um dos caminhos mais comuns usados pelos cibercriminosos é o ataque de injeção de SQL.

Funciona assim: para as páginas na internet operarem, elas utilizam informações provenientes de um banco de dados. Essas informações são captadas quando preenchemos um formulário com nosso nome, endereço e telefone durante uma compra, por exemplo.

Tendo essa premissa como base, os cibercriminosos preenchem esses campos com dados corrompidos e manipulados, chamados de injeção de SQL. Se o site em questão tem uma limpeza de entrada ruim, o criminoso consegue o acesso e controle desses dados, podendo realizar alterações, roubar dados e interromper a operação.

Falha de autenticação

Os mecanismos de autenticação para sites foram criados para garantir que uma pessoa que está requerendo acesso a um determinado conteúdo é de fato quem ela diz ser. A ideia é que pessoas não autorizadas só cheguem até determinado lugar, ou seja, tenham restrições.

O problema aparece geralmente quando o sistema de autenticação não é seguro e apresenta inconsistências. Logo, os cibercriminosos aproveitam essas falhas de autenticação e roubam informações sigilosas, como senhas.

Configuração incorreta de segurança

Grande parte das vulnerabilidades dos sites é causada por programação malfeita ou ainda por gambiarras que interferem na configuração de segurança. Elas criam brechas e impedem que mecanismos de proteção funcionem corretamente.

Apesar de comum, esse tipo de falha pode causar problemas graves, afetando a reputação do negócio e gerando má experiência para o usuário.

Exposição de dados sensíveis

Sempre que fornecemos dados para uma plataforma, estamos confiando nela para manter a segurança deles. Um exemplo são informações bancárias, referentes a cartões ou senhas. Quando um site não está bem protegido, acontece bastante a exposição de dados sensíveis, por falta de mecanismos de segurança adequados.

Como identificar vulnerabilidades em seu site

Existem algumas estratégias para descobrir as vulnerabilidades de um site. Confira o passo a passo:

Tenha consciência de todos os seus ativos

Para você entender o funcionamento completo do seu site, é importante saber quais são todas as outras instâncias que se relacionam com ele, como servidor e links externos. Ao ter noção disso, é mais fácil mapear riscos e fazer a proteção dos dados.

Faça uma varredura de suas páginas

Após identificar seus ativos, faça uma varredura de todas as suas páginas, procurando possíveis erros que possam prejudicar o site.

Avalie os riscos e as vulnerabilidades

Tendo identificado todos os problemas, categorize-os pelos riscos que oferecem, para saber como lidar com cada um deles.

Resolva os problemas

Com os problemas identificados e priorizados, encaminhe para solucioná-los com o time de tecnologia.

Faça testes de invasão

É importante fazer testes de invasão no seu site para entender como as barreiras de proteção estão funcionando e, a partir disso, criar contrarrespostas para os problemas que surgirem.

Monitore regularmente e adote políticas mais rígidas

O monitoramento das vulnerabilidades precisa ser constante. Sempre deve ser feito esse acompanhamento, buscando novas falhas que ainda não foram descobertas.

Como a tecnologia sempre está evoluindo, é possível criar maneiras de invadir o sistema, mas também desenvolver novas formas de se proteger. Logo, sua organização precisa adotar políticas rígidas de acompanhamento de qualidade da segurança.

Aqui, também vale destacar a necessidade de contar um profissional com expertise no assunto para auxiliá-lo neste monitoramento.

Quais são as boas práticas para a proteção de um site?

A identificação e rastreio de vulnerabilidades de um site deve ser uma preocupação constante. Então as boas práticas são ações que precisam fazer parte constantemente da rotina da organização. São elas:

  • criar hierarquização de acesso, dando “poder” de acordo com o nível de autorização a acessos que aquele profissional possa ter;
  • manter sempre a equipe da empresa treinada para não cair em golpes fáceis, como clicar em links que possam ser suspeitos;
  • impedir acessos a sites duvidosos que possam ter algum mecanismo que invada o sistema da empresa;
  • educar toda a equipe com relação à segurança das senhas;
  • ter conteúdos sigilosos criptografados, dificultando a invasão de hackers e o acesso de terceiros;
  • sempre fazer backups em uma nuvem segura;
  • usar firewall e antivírus de qualidade.

Os sites vulneráveis são uma preocupação regular das empresas, mas tomando as devidas providências, esse transtorno pode ser evitado, impedindo que diversos prejuízos afetem a organização.

A solução Threat Intelligence da ClearSale trabalha na detecção de sites e páginas falsas e realiza a derrubada de ameaças, reporta roubo de dados e monitora o uso indevido de sua marca, em tempo recorde. Isso com o uso de Inteligência Artificial e um time de especialistas que garantem a segurança da informação.

O ThreatX da ClearSale pode ajudar você a identificar e solucionar os problemas de vulnerabilidade dos seus sites. Fique à vontade para conhecer melhor nosso produto e entrar em contato conosco.

Título

Ao fornecer suas informações, você declara estar ciente de nossa Política de Privacidade e aceita que a ClearSale envie informativos, ofertas e outros materiais.

Escrito por

A ClearSale é especialista em soluções antifraude nos mais diversos segmentos, como e-commerce, mercado financeiro, vendas diretas, telecomunicações e seguros, sendo pioneira no mapeamento do comportamento do consumidor digital. A empresa equilibra tecnologia e profissionais especializados para entregar os melhores indicadores aos clientes e movimentar o mercado com segurança e confiança.

Assine nossa newsletter

Ao fornecer suas informações, você declara estar ciente de nossa Política de Privacidade e aceita que a ClearSale envie informativos, ofertas e outros materiais.