21/08/2019 •
2 min. de leitura

Tokenização: entenda o que é, como funciona e conheça seus benefícios

Conheça detalhes da ferramenta que tem ajudado cada vez mais empresas

 
 

Com a utilização cada vez mais comum de recursos digitais em cadastros e transações comerciais, o recurso da tokenização tem se tornado praticamente obrigatório nos procedimentos de segurança, principalmente em bancos e outras instituições financeiras.

O que é tokenização

A tokenização é o nome dado à ferramenta digital de segurança que gera um código verificador exclusivo para a validação e autenticação de um usuário que tenta realizar algum tipo de transação financeira. Por ser um código aleatório e temporário – tem validade de poucos segundos –, representa uma camada forte de segurança e, por excluir a necessidade de uso de força humana de trabalho, é sinônimo de economia no processo.

De forma simples e objetiva, pode-se dizer que o token funciona como um substituto de um cartão, seja ele de débito ou crédito, que transforma os dados sensíveis de clientes em códigos alfanuméricos gerados por algoritmos, impedindo a identificação de pessoas que acessem tais dados com más intenções e para fins desonestos.

Uso da tokenização

Por ser rápida (praticamente instantânea), a tokenização é muito utilizada para autenticar transações financeiras realizadas em ambientes digitais, principalmente por bancos e fintechs. Apesar disso, o uso desta ferramenta pode ser muito eficaz em outros segmentos, como o de empresas especialistas em soluções antifraude, por exemplo.

Outra aplicação da tokenização que tem se tornado comum é em ativos vendidos e comprados em ambientes digitais, como é o caso das criptomoedas. Neste caso, a tokenização atua como uma espécie de cofre virtual que guarda informações de maneira segura e blindada contra ataques de cibercriminosos.

Benefícios da tokenização

O uso da tokenização traz muitos benefícios do ponto de vista de segurança e privacidade no que diz respeito a dados sensíveis de consumidores, além de garantir conformidade com normas de regulamentação previstas em lei como a LGPD, por exemplo.

Blindagem contra hackers

A tokenização faz com que circulem na nuvem os dados alfanuméricos gerados pela ferramenta, o que significa proteção aos dados que o token representa. Em palavras mais simples, pode-se dizer que, se a segurança falhar, o que ficará exposto é um código, e não as informações que eles protegem.

Pronta para carteiras digitais

Consideradas a primeira etapa do futuro dos meios de pagamento, as carteiras digitais usam tokenização para salvar dados de consumidores com segurança, ao mesmo tempo que dispensam o uso de senhas de validação.

Não precisa de objeto físico

Infelizmente, não é raro no Brasil que cartões sejam roubados, perdidos ou simplesmente percam a validade por ultrapassar a data de expiração. Com a tokenização, não há mais a necessidade de utilizar objetos físicos, como os cartões, nas transações comerciais.

Se é uma relação que necessita de pagamentos recorrentes, o não uso da tokenização fatalmente gerará algum tipo de fricção na experiência do cliente em algum momento, o que pode se transformar em prejuízos ao negócio.

Ajuda a fidelizar clientes

Fidelizar clientes é um dos grandes objetivos e um dos maiores desafios das organizações hoje em dia. Para conseguir isso, oferecer uma excelente experiência de compra é fundamental, e a tokenização ajuda muito neste processo. Afinal de contas, ao utilizar essa ferramenta, é possível armazenar dados que auxiliem estratégias de marketing específicas, compras rápidas e personalizadas, etc.

Conformidade com a lei

Além de proteger dados de clientes e otimizar processos, a segurança fornecida pela tokenização faz com que organizações fiquem em total acordo a normas regulamentadoras e leis que têm como objetivo a proteção de dados sensíveis das pessoas, evitando assim multas e processos judiciais decorrentes da falta de cuidado com informações de clientes.

Tokenização e criptografia

Por fim, é importante falar sobre a diferença entre a tokenização e a criptografia. A tokenização impede que sistemas externos tenham acesso aos dados reais, pois não está matematicamente relacionada ao dado original que ela substitui.

A criptografia, por sua vez, usa um algoritmo que embaralha dados para gerar uma espécie de maquiagem, mas que infelizmente pode ser violada com chaves criptográficas mais sofisticadas, fazendo com que dados sigilosos possam ser violados por cibercriminosos mais sagazes, já que há, de fato, uma relação desvendável com o dado que ela tenta proteger.

Conheça o Data Trust, solução da ClearSale que utiliza a tokenização.

Conteúdo relacionado:

Validação cadastral eficiente economiza tempo e dinheiro das empresas

Behavior Score: entenda o que é e como ele influencia na análise de crédito

Big Data Analytics: o que é e como pode impactar seu negócio

Data Lake: conheça e saiba por que é importante no combate a fraudes

Título

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.