23/06/2022 •
2 min. de leitura

Como proteger sua fintech de vazamento de dados

Veja alguns casos recentes de vazamento de dados em fintechs e descubra o que fazer para proteger sua organização!

 
 

Garantir a segurança dos dados é um desafio para empresas de todo o mundo. Prova disso é uma pesquisa realizada pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), publicada no Journal of Data and Information Quality, que revelou um aumento de 493% no número de vazamento de dados no Brasil entre 2018 e 2019.

Considerando que as táticas criminosas evoluíram e a quantidade de dados circulando aumentou, é possível supor que a realização de estudo atual traria um panorama ainda mais assustador.

O vazamento de dados em fintechs faz parte deste cenário e concentra esforços de cibercriminosos. É que, de posse de dados roubados, é possível contrair empréstimos, obter linhas de crédito e adquirir cartões em nome de terceiros, cujas informações foram furtadas.

Nesse sentido, investir na segurança da sua empresa deve ser uma prioridade. Continue a leitura e veja como proteger seu negócio com sucesso!

Confira alguns casos recentes de vazamento de dados em fintechs

Quando o assunto são instituições bancárias e empresas ligadas ao setor financeiro, é esperado que os sistemas de segurança sejam realmente confiáveis. No entanto, eventualmente surgem notícias de vazamentos e roubos de dados.

Tal situação gera desconfiança nos clientes e causa graves prejuízos, já que os cibercriminosos utilizam essas informações para realizar fraudes e aplicar golpes.

Algumas das fintechs mais conhecidas já passaram por este tipo de problema, como o Banco Inter, que em 2018 afirmou ter sido vítima de tentativa de extorsão, mas conseguiu contornar a situação sem comprometer a segurança dos dados, e o Banco Pan, que sofreu vazamento de dados por conta da fragilidade na plataforma de um fornecedor na área de cartões.

Outro caso que ganhou notoriedade foi o vazamento de dados relativo às chaves PIX, confirmado pelo Banco Central. De acordo com a instituição, mais de 400 mil chaves foram expostas.

Esse tipo de incidente gera instabilidade no mercado e uma grande preocupação por parte das empresas. Afinal, grande parte da credibilidade está relacionada à certeza de que o dinheiro e os dados bancários estarão seguros.

Portanto, conseguir lidar com esses ataques é um dos grandes desafios dessas fintechs e pode ser crucial para o crescimento desse segmento de negócios no Brasil.

Entenda os riscos do vazamento de dados

O vazamento de dados pessoais e sensíveis pode gerar inúmeros transtornos, tanto para a empresa quanto para os usuários. Além disso, a Lei Geral de Proteção de Dados, publicada em 2018, prevê sanções severas para quem não zelar pela segurança das informações. Veja alguns desses transtornos a seguir.

Sanções provenientes da LGPD — Lei Geral de Proteção de Dados

Embora a LGPD não apresente uma definição específica para um incidente de segurança, a GDPR, da qual ela se originou, estabelece que é considerada uma “violação da segurança que provoque, de modo acidental ou ilícito, a destruição, a perda, a alteração, a divulgação ou o acesso, não autorizados, a dados pessoais transmitidos, conservados ou sujeitos a qualquer outro tipo de tratamento.”

Entre outros, ela apresenta os princípios da segurança e da prevenção como determinantes para nortear o comportamento das empresas em relação à proteção de dados, de modo que é necessário fazer todos os esforços possíveis para garantir que as informações estejam protegidas de forma preventiva.

Além de apresentar normas para a proteção, a lei também dispõe de sanções, que variam de uma simples advertência até a perda de todo o banco de dados e multas que podem chegar a R$ 50 milhões, a depender do dano causado ao titular e das medidas tomadas para evitar esse incidente.

Possibilidade de fraudes e golpes

De posse das informações dos usuários, os hackers conseguem aplicar uma vasta gama de golpes e atos fraudulentos, como conseguir financiamentos, abrir contas em bancos, linhas de crédito, cartões e criar boletos falsos.

Esses criminosos conseguem ainda acessar informações pessoais, como o telefone, e-mail e outros dados pessoais, de modo que o cliente pode ser lesado de inúmeras formas.

Vale observar que os hackers, muitas vezes, são contratados por outras empresas para roubar bancos de dados ou simplesmente vendem essas informações para instituições que se beneficiam de dados sigilosos (referentes a estratégias de mercado, propriedade industrial etc.).

Perda da credibilidade

Outro ponto que não pode ser negligenciado é o impacto que o vazamento de dados em fintechs tem no mercado. A publicação desses incidentes gera desconfiança em clientes e investidores, o que acaba se tornando um grande entrave ao crescimento dos empreendimentos no país. Afinal, ninguém quer investir dinheiro em um negócio inseguro.

No caso das fintechs, isso é ainda mais grave. Como são instituições que oferecem serviços totalmente digitais, muita gente sente falta das agências físicas, pois têm a impressão de que seu dinheiro estará mais resguardado em um local físico. Por isso, se as fintechs não oferecerem a solidez necessária para o consumidor, certamente acabam perdendo público.

Saiba por que é importante proteger seu negócio

Como já foi dito, proteger seu negócio contra fraudes e incidentes, atualmente, vai além de um cuidado e passa a ser uma obrigação legal. Negligenciar sistemas de segurança, especialmente em empreendimentos predominantemente virtuais, pode inviabilizar seu negócio.

Como vimos, a legislação prevê sanções pesadas para casos em que o titular é prejudicado pelo tratamento indevido dos dados, e a empresa ainda perde credibilidade e espaço no mercado. Dessa forma, fazer uma análise profunda dos seus pontos vulneráveis e aplicar recursos para suprimi-los são cuidados que todo empreendedor responsável precisa ter.

Descubra como o ThreatX da ClearSale ajuda a garantir a integridade dos dados

Após discutir a importância de investir em segurança, está na hora de entender como se proteger de vazamentos de dados. Para isso, além das boas práticas de governança, é importante contar com parceiros que entendam o modo de agir dos fraudadores mais criativos.

É por isso que o ThreatX da ClearSale é tão inovador. Ele apresenta o conceito de inteligência de ameaças, ou threat intelligence, englobando todas as medidas necessárias para prevenir ataques e minimizar os efeitos causados por eles.

Com isso, é possível identificar phishing, perfis falsos em redes sociais e vazamento de informações na surface, deep web e dark web, além de sustentar um monitoramento constante, por exemplo.

Como é possível perceber, vazamentos de dados em fintechs podem ser devastadores por irem muito além dos prejuízos financeiros. Por isso, investir em ferramentas de segurança é uma necessidade para garantir a viabilidade do seu negócio.

Não espere mais para garantir a proteção dos dados dos seus clientes. Aproveite e conheça o ThreatX da ClearSale!

Título

Ao fornecer suas informações, você declara estar ciente de nossa Política de Privacidade e aceita que a ClearSale envie informativos, ofertas e outros materiais.

Escrito por

A ClearSale é especialista em soluções antifraude nos mais diversos segmentos, como e-commerce, mercado financeiro, vendas diretas, telecomunicações e seguros, sendo pioneira no mapeamento do comportamento do consumidor digital. A empresa equilibra tecnologia e profissionais especializados para entregar os melhores indicadores aos clientes e movimentar o mercado com segurança e confiança.

Assine nossa newsletter

Ao fornecer suas informações, você declara estar ciente de nossa Política de Privacidade e aceita que a ClearSale envie informativos, ofertas e outros materiais.