30/09/2019 •
2 min. de leitura

Como se preparar para a Black Friday: seis dicas para seu e-commerce

A edição de 2019, que será a 10ª realizada no Brasil, acontece no dia 29 de novembro, e já conta com grande expectativa por parte do varejo

 

A Black Friday surgiu nos EUA há algumas décadas. Embora não tenha registros oficiais, a teoria mais aceita é a de que alguns comerciantes, preocupados com o desempenho ruim dos negócios, decidiram praticar descontos agressivos para atrair clientes.

Black Friday no Brasil

No Brasil, a Black Friday chegou pelas mãos do publicitário Pedro Eugênio, do site Busca Descontos, em 2010.

A edição de 2019, que será a 10ª realizada no Brasil, acontece no dia 29 de novembro, e já conta com grande expectativa por parte do varejo – principalmente o eletrônico – e dos consumidores.

Dados da Black Friday no e-commerce

Absolutamente consolidada no cenário nacional, a Black Friday apresenta números cada vez mais expressivos. Em 2018, foram R$ 3,4 bilhões em faturamento, o que representa um aumento de 19,7% em relação a 2017.

As cinco cidades com mais faturamento foram São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Curitiba, nesta ordem. Já os segmentos de produtos com mais procura foram eletrodomésticos, celulares, eletrônicos, informática e móveis.

Por região, o Sudeste foi o que teve melhor desempenho: R$ 2,08 bilhões em faturamento. Em segundo lugar vem o Nordeste, com R$ 511,87 milhões, seguido por Sul, Centro-Oeste e Nordeste.

Todos estes dados, somados às projeções de consultorias especializadas que mostram que 2019 também deve apresentar crescimento, mostram que não é exagero afirmar que a Black Friday é a maior data do e-commerce brasileiro.

Dicas para atuar na Black Friday

Se a data tem tanta relevância, nenhum varejista pode se dar ao luxo de não aproveitar a oportunidade de atrair clientes, fidelizar a base e, consequentemente, alavancar os lucros. Para que isso seja possível, algumas dicas são valiosas:

1. Análise de concorrência

As pessoas que têm intenção de compra na Black Friday esperam preços baixos, e valores desproporcionais aos praticados no mercado tendem a perder espaço. Por causa disso, é importante que o varejista faça uma pesquisa prévia sobre a concorrência, para ao menos poder ter uma ideia dos preços que serão praticados.

Vale ressaltar que os descontos precisam ser bom para ambos os lados, tanto varejo quanto consumidor. Além disso, o foco em questões como valor de frente e prazo de entrega também não pode ser deixado de lado, já que estes pontos também fazem parte do processo de decisão de compra.

2. Campanhas de divulgação

Tão importante quanto os descontos que serão ofertados, as campanhas de divulgação farão com que o maior número possível de pessoas saiba que aquela determinada loja terá aqueles determinados descontos.

É muito importante que o público saiba que você está participando da Black Friday. Atraia as atenções para sua loja por meio de redes sociais, e-mail marketing, anúncios pagos, propagandas locais, etc. Avalie em quais canais sua campanha deve aparecer.

Vale ter muita atenção com o prazo que se faz tudo isso. Quanto antes os clientes souberem, melhor. Com foco nos seus objetivos, projete início, meio e fim da sua estratégia.

3. Promoções reais

É obrigatório fugir de práticas consideradas ruins, como elevar preços antes da Black Friday, para tentar passar a sensação que os descontos são maiores.

Crie promoções verdadeiras para realmente atrair os seus consumidores no período da Black Friday. Cada vez mais, órgãos fiscalizadores como Procon e os próprios consumidores estão atentos às lojas que enganam seus clientes.

Passar credibilidade é fundamental para estabelecer uma relação de confiança e fidelidade com o consumidor brasileiro.

4. Estoque

Ter o controle preciso do estoque de produtos também é item obrigatório para lojistas que buscam o sucesso na Black Friday. Faça uma análise o quanto antes em seu estoque, levante os produtos que estão fora de linha, produtos que podem ser promocionados e, principalmente, os que estão em liquidação.

Tenha todo o cuidado possível para não perder o controle de vendas no dia da Black Friday. Em lojas virtuais, por exemplo, a atenção com a quantidade de produtos em estoque precisa ser total na Black Friday.

Prefira ter sobras no estoque a ficar sem os produtos a pronta entrega. Lembre-se que as datas seguintes à Black Friday – Cyber Monday e Natal, principalmente – são boas oportunidades para vender produtos que ficaram no estoque após o fim da Black Friday.

5. Infraestrutura

Com mais pessoas acessando um site em busca de descontos e promoções, é preciso ter infraestrutura para garantir que a página suporte os picos de acesso, garantindo a permanência do cliente e uma boa experiência de compra para todos.

6. Atendimento

O atendimento humanizado, com foco em resolver os problemas dos clientes, é essencial para garantir a satisfação do consumidor. A Black Friday no e-commerce não deve ser apenas uma oportunidade para alavancar os lucros, mas também, um momento de atrair e conquistar novos clientes. Em um cenário no qual vários varejistas oferecem produtos e descontos semelhantes, o atendimento se torna um grande diferencial.

Segurança e sistema antifraude

Para tornar a experiência ainda mais segura, é possível contar com um parceiro antifraude especializado. Dessa forma, além da prevenção contra fraudes, a loja tem garantida uma boa taxa de aprovação de pedidos, com baixo tempo de resposta e número mínimo de chargebacks, além de evitar o bloqueio de pedidos de bons consumidores.

Fraude é uma parte indesejada da administração de um negócio, mas não é uma parte com a qual o varejista tenha que conviver.

Para ser bem sucedido, o fraudador precisa estar longe dos olhos da solução antifraude para e-commerce. Se o criminoso não puder fazer isso, ele vai migrar para alguma empresa que esteja mais vulnerável.

Os fraudadores são criativos e, para evitar ataques, a proteção antifraude também deve ser. Criminosos gostam do caminho que oferece menor resistência, e um bom sistema antifraude é a maior barreira que pode existir neste sentido.

Manter sistemas antifraude atualizados e contar com uma equipe especializada, além de uma abordagem minuciosa e multicamadas, são boas práticas que provavelmente manterão o varejo protegido e os consumidores sempre satisfeitos, independentemente de a data ser a Black Friday ou não.

Conteúdo relacionado:

Conheça a importância da Black Friday para o e-commerce no Brasil

Relatório traz estudo completo sobre o Dia do Cliente e a Semana do Brasil

Customer Experience: saiba como melhorar a experiência de seu cliente

Terceira idade faz 2,2 milhões de pedidos via e-commerce no 2º trimestre

Título

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.