6/05/2021 •
2 min. de leitura

Fraudes digitais: conheça as mais comuns sofridas por e-commerces

 
 

Em decorrência da expansão das transações comerciais na internet e da grande quantidade de compra e venda realizadas por e-commerces, esse tipo de negócio tem se tornado um alvo fácil dos criminosos. Nesse sentido, as fraudes digitais podem trazer transtornos para as operações financeiras e logísticas do negócio, acarretar prejuízos financeiros e impactar negativamente a reputação e imagem da loja virtual.

Sempre vão haver criminosos em busca de brechas no sistema, para obter vantagens indevidas. Diante desse cenário preocupante, é essencial conhecer os golpes mais comuns e adotar as medidas corretas para combatê-los. A prevenção deve ser a palavra-chave. Afinal, a manutenção de um ambiente online seguro e confiável deve ser uma das principais preocupações dos empreendedores.

Quer saber como proteger o seu negócio e evitar ser vítima desses golpes? Neste post, vamos apresentar quais são as fraudes digitais mais comuns contra e-commerces, para que você consiga reconhecê-las e combatê-las mais rapidamente. Boa leitura!

Roubo de identidade

Nesse tipo de fraude, o criminoso utiliza indevidamente a identidade de outra pessoa como instrumento para práticas fraudulentas. Com os dados em mãos, ele consegue criar cartões de crédito e finalizar compras, tudo em nome da vítima.

Pedido de estorno

O golpista, munido do cartão da vítima, faz uma compra e efetua o pagamento. No entanto, logo após a compra e o recebimento da mercadoria, ele entra em contato com a instituição financeira alegando ter sido vítima de um golpe ou o pagamento desconhecido e acidental. Então, ele solicita o reembolso (estorno do valor pago). Também é possível que a própria vítima faça a solicitação de cancelamento da compra.

Da mesma forma, ele entra em contato com o e-commerce e pede a restituição do valor sob a alegação de que a fatura do cartão está fechada. Nesse sentido, a loja virtual envia o dinheiro por outro meio alternativo, como transferência bancária, viabilizando o “estorno indevido” para o golpista.

Interceptação de mercadorias

A interceptação de mercadorias se dá nos casos em que o golpista toma conhecimento da data e do momento de entrega do produto e se passa pelo destinatário, ou avisa que o morador não se encontra em casa. Assim, o entregador entrega a encomenda para o criminoso que assina o termo de recebimento.

Violação de senha

Nesse tipo de fraude, o golpista descobre a senha da vítima e passa a ter acesso ao cadastro na loja virtual. A partir daí, ele poderá concluir transações usando o cartão de crédito da vítima, caso esteja previamente cadastrado na conta. Além disso, também é possível a alteração no endereço de entrega das mercadorias, de forma que o fraudador consiga receber os pedidos. Veja alguns tipos de ataques!

Ataques de dicionário

Nesse tipo de ataque, o criminoso insiste em combinações numéricas e caracteres especiais com o fim de descobrir a senha e o login de acesso da vítima. É uma prática que costuma ter sucesso. Os criminosos costumam insistir em centenas e milhares de tentativas de combinação até conseguir descobrir a senha do usuário. Diante desse perigo, o recomendado é evitar o uso de senhas simples, como nomes de familiares e datas de nascimento de pessoas próximas.

Ataque de força bruta

Essa ação consiste no ataque criptoanalítico, ou seja, é direcionado para afrontar mecanismos de criptografia. O objetivo é atacar dados criptografados e violar o sistema de segurança, para assim, ter acesso ao cadastro do usuário.

Além disso, o ataque também pode ser organizado com o intuito de descobrir páginas ocultas ou uma chave usada e assim, criptografar determinadas mensagens. Para isso, o criminoso deve realizar sucessivas tentativas até que consiga ter sucesso no crime.

Ataque arco-íris

O ataque arco-íris tem o objetivo de burlar a segurança de mecanismos de criptografia presentes nos algoritmo hash, estrutura que corresponde a qualquer senha e login acesso dos usuários. Para isso, os criminosos realizam comparações entre o hash de login e senha do usuário e os demais hashes existentes em todo o banco de dados do sistema

A partir dessa ação, se torna possível descobrir a senha de texto que está diretamente associada a determinado hash. Além disso, também é importante esclarecer que um conteúdo consegue gerar diversos hashes, facilitando o trabalho dos os criminosos.

Alterações no cadastro do usuário

O golpista altera, intencionalmente, o endereço de entrega do destinatário final da mercadoria, inserindo dados diversos daqueles que constam no cadastro do consumidor do e-commerce.

O acesso à conta do usuário também permite aos criminosos descobrir dados bancários da vítima, e possibilita novos crimes. Após a descoberta da fraude, o e-commerce terá de arcar com um novo envio, uma vez que ela ocorreu por falha no seu próprio sistema.

Nesse sentido, o e-commerce deve incentivar os clientes a criarem uma conta com login e uma senha forte e não óbvia, para dificultar a ação de criminosos. Outra dica é solicitar a alteração de senha com frequência para proteger a conta.

Phishing

Pishing (pesca de dados) é um tipo de ação fraudulenta que vem crescendo cada vez mais no ambiente online. Geralmente, o criminoso envia para os usuários e-mails com pretexto de estar enviando uma oferta imperdível ou exclusiva. No entanto, se trata de mensagens contendo links falsos. Ao clicar na URL, o navegador é direcionado para páginas adulteradas, que contêm malwares que acabam se instalando na máquina da vítima. A partir daí, a vítima corre o risco de exposição de seus dados pessoais, ocasionando transações bancárias indevidas e não autorizadas.

Os criminosos estão desenvolvendo ferramentas cada vez mais modernas e robustas para obter sucesso em seus crimes virtuais. Esse cenário é alarmante. Para isso, é importante reconhecer os sinais de que estão tentando aplicar esse golpe na sua loja virtual. Você deve estar sempre atento diante de qualquer atitude suspeita. O recomendado é investir em softwares de segurança e realizar varreduras com frequência.

Agora, você já sabe como é importante manter a segurança no seu e-commerce para evitar fraudes digitais. Quer saber mais sobre o assunto? Entre em contato conosco. A ClearSale é líder em soluções antifraude e pode deixar o seu empreendimento mais seguro.  

Título

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.