8/05/2020 •
2 min. de leitura

Tecnologia pode evitar fraudes bilionárias em financiamentos

Prejuízos com ações criminosas têm crescido anualmente no setor. Saiba como sua empresa pode se proteger desse mal

 

Indiscutivelmente, o financiamento é muito importante na vida de milhões de brasileiros. Mais conhecido por quem vai comprar um imóvel ou um carro, que são bens de maior valor, o financiamento tem se tornado cada vez mais comum em outros itens, como smartphones, eletrodomésticos, viagens, cursos superiores, etc.

Soluções antifraude ajudam setor de seguros automotivos

Neste cenário, empresas e consumidores aprenderam, ao longo dos anos, que o financiamento traz vantagens importantes, e dá poder de consumo a quem antes não poderia pensar em obter itens de maior valor. O problema, no entanto, é que, cada vez mais, fraudadores têm buscado maneiras de obter vantagens financeiras ilícitas sobre os financiamentos, gerando bilhões de reais em prejuízos às financeiras e muito transtorno aos consumidores.

Prejuízos da fraude em financiamentos

São inúmeros os casos de rombos causados em financeiras todos os anos, e como os valores dos bens vendidos por meio de financiamentos costumam ser mais altos, não é preciso um grande número de fraudes para se chegar à casa dos bilhões de reais em prejuízos com este tipo de crime.

Para se ter uma ideia, associações ligadas ao setor estimam que, entre agosto de 2018 e o mesmo mês de 2019, pelo menos 12 milhões de pessoas foram vítimas de algum tipo de fraude financeira, o que gerou quase R$ 2 bilhões em prejuízos às empresas.

Emissão de cartões online exige cuidados para evitar fraudes

Uma pesquisa internacional chamada TransUnion Fraud Trends, realizada pela Forrester Consulting, mostra dados alarmantes. Entre 2017 e 2018, aproximadamente 94% das empresas do segmento financeiro já sofreram algum tipo de fraude, com prejuízos que chegaram aos R$ 4 bilhões em um período de apenas três meses.

Tais números mostram o quanto é importante conhecer e combater a fraude no setor de financiamentos, pois só assim é possível pensar em crescimento saudável e sustentável do negócio.

Como acontece a fraude em financiamentos

A fraude em financiamentos ainda é mais voraz no segmento de motos e automóveis. Isso acontece porque, além dos valores geralmente altos, têm alta volumetria e dão ao fraudador a ideia de poder atuar silenciosamente em meio a muitas solicitações.

Embora existam alguns tipos de fraude neste segmento, praticamente todas elas acontecem após fraudadores conseguirem acesso ilegal a dados de cidadãos honestos, praticando a já conhecida fraude de identidade. Com isso, podemos listar algumas fraudes mais comuns ou recorrentes no setor:

Venda indevida

Muitas vezes, quadrilhas compram ou infiltram representantes de vendas para imputar produtos e serviços a clientes que não os solicitaram. Como eles já têm os dados verdadeiros de bons consumidores, conseguem forjar solicitações de financiamentos em nome de terceiros. Assim, eles recebem o dinheiro e jamais pagarão por isso, deixando o prejuízo à financeira.

Vendedor fantasma

Em alguns casos, fraudadores fingem ser vendedores honestos de produtos ou serviços de menor valor em relação a um imóvel ou carro, por exemplo. Quando conseguem uma venda, pegam dados legítimos de consumidores e começam a pedir financiamentos de bens mais caros em outras instituições. Quando uma dessas financeiras aceita a solicitação, o criminoso entrega o contrato ao titular dos dados dizendo que precisa da assinatura para concretizar a venda daquele primeiro produto em questão. Se for menos atento, o consumidor assina o contrato e a fraude está concretizada.

Comprador interno

Neste caso, fraudadores disfarçados de proprietários de concessionárias de carros compram um veículo em seu nome, recebem o dinheiro da financeira, alimentam o capital de giro das lojas e ainda podem ganhar comissão pela venda. E assim que a loja vende um próximo carro, utilizam a quantia anterior recebida para cobrir o valor do financiamento.

Fraude amigável

Muito conhecida também em outros segmentos, a fraude amigável acontece quando há a utilização de dados de parentes e amigos próximos, sem conhecimento ou prévia autorização dessas pessoas, para a obtenção de financiamentos. Como o titular dos dados só percebe isso quando chega a hora de começar a pagar pelo financiamento, o contrato é contestado e prejuízos e transtornos começam a acontecer para todos os envolvidos.

Como evitar a fraude neste setor

O Brasil é um país onde a fraude é agressiva e sofisticada, o que traz a necessidade de defesa por parte das empresas. No mercado de financiamentos, isso não é diferente. É preciso usar tecnologia precisa e escalável para manter o negócio sem as brechas de segurança que costumam seduzir os fraudadores.

As financeiras têm investido, cada vez mais, em soluções tecnológicas que possam mitigar a ocorrência de fraude em seu negócio, principalmente com o uso de ferramentas de Inteligência Artificial e Machine Learning, o que permite a aplicação de modelos estatísticos, o uso de dados para identificar padrões e tomar decisões com o mínimo de intervenção humana.

ClearSale é destaque em relatório mundial de sucesso de fintechs

Dessa forma, as empresas conseguem fazer toda a checagem de dados cadastrais de maneira mais rápida, escalável e com mais segurança.

O problema, no entanto, é que quando combater a fraude não é o seu core business, muitas armadilhas podem atrapalhar este processo. O principal deles é a visão limitada que se tem quando a sua base de dados não é capaz de olhar para além do seu negócio.

Não importa o quão boa é sua gestão de risco, ela só enxergará um pequeno pedaço do ecossistema que envolve as fraudes. A visão de um gestor interno se limita às fraudes sofridas pela empresa e não enxerga fraudes que ocorreram em outros players do mercado. Esta limitação resulta na impossibilidade de prever novos ataques, que seriam facilmente identificados quando se tem uma visão mais ampla da atuação dos fraudadores.

Como a ClearSale pode ajudar

Ao longo de nossa história, vimos empresas que optaram por internalizar a gestão do risco falharem gravemente, gerando prejuízos diretos e indiretos (redução de vendas, processos judiciais e aumento de custo operacional), além do comprometimento da imagem junto aos seus consumidores.

Por mais competente que seja o seu time de prevenção à fraude - e somos parceiros de excelentes times com excelentes gestores -, existem limitações intransponíveis numa atuação isolada e totalmente interna, pois este desafio requer uma visão global do que ocorre no mercado e um altíssimo grau de especialização técnica e tecnológica.

Fintechs poderão emitir cartões de crédito. Saiba como evitar fraudes

Para financeiras, temos uma solução chamada Car Financing Radar, desenvolvida especialmente para financiamentos de veículos e motos para pessoas físicas. O Car Financing Radar é um antifraude por API que atribui índice à transação, analisa dados comportamentais e fornece reports que balizam a tomada de decisão sobre o financiamento.

Análises baseadas unicamente em controles internos, muitas vezes não permitem uma prevenção eficaz da fraude. Isso impacta diretamente a capacidade creditícia e, principalmente, a experiência do cliente, que pode ter o financiamento negado mesmo sendo um bom pagador. Para manter o mercado em movimento e suas transações seguras, realize uma verificação aprimorada com o Car Financing Radar.

Com isso, seu negócio terá melhores indicadores não apenas na contenção da fraude, mas também nas novas propostas e nas renovações com clientes já existentes em sua base.

Conteúdo relacionado:

Banco do Futuro: bancos usam tecnologia para se aproximar do cliente

ClearCast: fraudes causam prejuízos no mercado financeiro

Open Banking: o que é, como funciona e como pode mudar o mercado

Instituições financeiras têm evolução com o uso de soluções antifraude

Título

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.