10/08/2022 •
2 min. de leitura

6 tipos de riscos empresariais que você precisa conhecer

Todo negócio envolve riscos. Cabe ao empreendedor ficar alerta a eles e gerenciá-los. Veja 6 tipos de riscos empresariais que você precisa conhecer!

 
 

Todo negócio envolve riscos. Cabe ao empreendedor ficar alerta a eles e descobrir como gerenciá-los da melhor forma. Nesse sentido, é fundamental que o gestor conheça quais são os principais tipos que ameaçam as organizações.

Vamos falar sobre esse assunto? Leia nosso post e confira nossas dicas de gestão de riscos empresariais. Assim, você conseguirá aprimorar ainda mais a administração de sua empresa!

O que são riscos empresariais?

Uma empresa é vulnerável a diversas ameaças e riscos durante seu período de atuação no mercado. E não é tarefa simples manter um negócio ativo e competitivo, principalmente diante de uma concorrência elevada.

A análise do risco empresarial é uma prática que os administradores adotam como forma de prevenção contra alguns imprevistos e que permite reduzir os impactos que eles causam sobre a rotina das corporações.

Riscos mal dimensionados podem realmente ameaçar diferentes aspectos, como a saúde financeira da empresa. Em situações mais graves, podem levar o negócio à falência e a encerrar suas atividades.

Quais são os 6 principais tipos de riscos empresariais?

Quando estamos atravessando um período de crise, os cuidados com os riscos empresariais devem ser redobrados. Os principais tipos estão fundamentados em seis pilares. Veja a seguir quais são eles!

1. Riscos operacionais

Os riscos operacionais se relacionam com as falhas que acontecem em processos internos e em processos externos, com pessoas e com sistemas. Falhas operacionais muito grandes podem causar uma situação crítica para a empresa. Em relação a essa categoria de riscos, há as seguintes modalidades:

  • risco organizacional — a falta de processos claros devido a ações precipitadas tende a impedir o desenvolvimento de uma estratégia corporativa, o que aumenta a possibilidade de riscos;
  • risco de operação — problemas na segurança ou técnicos e falta de suporte dos fornecedores podem prejudicar a produtividade dos funcionários, o que resulta em perda de recursos financeiros e de tempo;
  • risco de pessoal — os funcionários podem ser uma grande força ou uma grande fraqueza, pois representam produtividade, mas também riscos de fraude e erros.

2. Riscos estratégicos

Riscos estratégicos são aqueles que podem causar prejuízos no alcance de metas e de objetivos corporativos. Eles podem ser identificados por meio de análise SWOT, sigla utilizada para a técnica que realiza um levantamento de Strengths, Weaknesses, Opportunities, and Threats — ou Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças, em português.

E mais: para que a empresa alcance o sucesso, é fundamental que os valores e a missão do negócio sejam respeitados e estejam de acordo com essa análise.

3. Riscos financeiros

O gerenciamento financeiro garante o crescimento do negócio. Sem a devida gestão do dinheiro, a empresa corre o risco de afundar em dívidas, de atrasar o pagamento dos funcionários, de perder dinheiro com a inadimplência de clientes e outros contratempos.

Quanto maior a empresa, mais necessidade ela tem de uma boa gestão financeira. A finalidade é garantir lucros mais altos que as despesas, o que requer uma administração mais complexa.

Os riscos financeiros ocorrem com frequência? Para evitar situações difíceis, o gestor deve alertar sobre os prazos de reajuste e manter o salário dos funcionários sempre em dia.

É preciso ainda manter controle total sobre a entrada e a saída de recursos no caixa. Quando a quantidade de dinheiro que sai supera o montante que entra, inevitavelmente, a empresa enfrenta crises — há um desequilíbrio entre contas a receber e contas a pagar.

4. Riscos cibernéticos

No ambiente virtual, a companhia não se encontra totalmente segura. Por isso, as ameaças cibernéticas se destacam também entre os tipos de riscos empresariais. Vírus e firewalls, por exemplo, podem causar danos graves e até irreversíveis.

No caso de uma organização, a infecção pode comprometer dados sigilosos. Criminosos cibernéticos costumam “sequestrar” (criptografar) arquivos importantes e exigir pagamentos — muitas vezes em criptomoedas — para fornecer um software que decodifique esse material, por exemplo.

O Brasil sofre muitos ataques cibernéticos. Entre os problemas que provocam, podemos destacar:

  • infecção por vírus no computador;
  • vazamento de informações confidenciais e muito importantes para a empresa ou de informações de terceiros (clientes, por exemplo);
  • danos decorrentes de sistemas interrompidos.

Além do mais, o vazamento de informações pessoais de clientes causa grandes transtornos por conta da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Existe, assim, uma pressão da própria lei sobre a necessidade de resguardar dados sigilosos.

5. Riscos de conformidade

Os riscos de conformidade envolvem outras categorias de riscos empresariais, como os riscos fiscais e os regulatórios. Os riscos fiscais se referem às obrigações legais de uma organização, como impostos e declarações oficiais. A empresa que entrega documentos atrasados ou com informações erradas se sujeita a pagar multas, por exemplo.

Caso as notas fiscais não sejam emitidas em conformidade com a legislação, a empresa pode ser classificada como sonegadora. E o gestor responsável pode receber condenação que varia de dois a cinco anos de prisão. Por isso, é fundamental que todas as declarações sejam mantidas em bom estado, para melhorias constantes, tanto externas quanto internas.

Quanto aos riscos regulatórios, tal qual o próprio conceito deixa claro, eles se encontram diretamente associados às falhas sobre a regularidade da empresa. As alterações frequentes nas normas da organização podem trazer insegurança jurídica, principalmente, para quem opera com agentes reguladores (como o de concessões).

Um dos riscos regulatórios é a multa, quando a empresa contrata algum colaborador e desobedece as normas da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) durante a admissão.

6. Riscos no ambiente de trabalho

Ainda é importante considerar um ambiente de trabalho confiável, que permita ao trabalhador exercer suas atividades sem grandes riscos de acidentes nem de doenças ocupacionais. Para que o espaço seguro se transforme em uma realidade, é preciso adotar medidas preventivas, como:

  • limpeza regular do ambiente de trabalho;
  • oferta e fiscalização de equipamentos de proteção individual (EPIs);
  • manutenção periódica das máquinas;
  • treinamentos de segurança;
  • simulações de evacuação do imóvel se acontecerem incêndios.

Para prevenção dos riscos empresariais no ambiente de trabalho, é necessário efetuar uma análise de risco regularmente. Outro ponto fundamental é contar com um time de segurança e uma assessoria que possa prestar assistência corporativa. Nesse sentido, é importante considerar:

  • doenças do trabalho ou profissionais, provocadas por atividades desenvolvidas no ambiente ocupacional;
  • acidentes comuns relacionados ao ambiente de trabalho ou que aconteceram enquanto o colaborador estava a serviço da organização;
  • acidentes que ocorreram no caminho entre a casa do funcionário e a empresa.

A legislação compreende que um colaborador acidentado fica impossibilitado de gerar renda para si e para sua família. Em alguns casos, as sequelas do acidente podem ser permanentes.

Como gerenciar esses tipos de riscos empresariais?

Para administrar os riscos empresariais, podemos adotar algumas soluções. Confira as mais relevantes!

Estudo de viabilidade econômica

É uma solução aplicável apenas para gestores que estão abrindo uma nova empresa ou que estão aumentando as operações de uma organização que já está na ativa. O estudo de viabilidade econômica tem como finalidade o cálculo dos mais importantes indicadores financeiros para confirmar se o investimento é, de fato, a melhor opção.

Quando um empreendedor inicia uma empresa, poucos são aqueles que refletem se o negócio escolhido realmente é o mais adequado para investir seu dinheiro. No mercado financeiro, há diferentes tipos de investimento que permitem rendimento com diferentes níveis de esforço.

Planejamento estratégico empresarial

O planejamento estratégico é fundamental para empresas de qualquer tamanho, inclusive micro e pequenas empresas. A partir de um bom planejamento estratégico, é possível esclarecer quais são os objetivos em longo prazo e o que deve ser feito para alcançá-los.

O planejamento consiste em uma análise que se divide em três etapas:

  • Onde estamos?
  • Para onde desejamos ir?
  • O que precisamos realizar?

Uma organização bem administrada deve ter um plano estratégico bem elaborado. Assim, os colaboradores ficam conscientes de todas as diretrizes que norteiam a empresa. Qual será a missão? E a visão em médio prazo? E os valores praticados diariamente?

A partir de um bom planejamento e de uma boa administração estratégica, a empresa consegue motivar todos os colaboradores a trabalharem de forma alinhada aos objetivos corporativos.

Gestão de processos de negócio

Eles compõem qualquer organização e constituem as tarefas realizadas com frequência. Mas nem todas as empresas têm conhecimento profundo de seus principais processos. E são poucos os negócios que registram esses processos, fazendo uma boa documentação.

Os processos documentados são excelentes estratégias para diminuir custos, otimizar a produtividade e garantir a gestão do conhecimento. Para tanto, é fundamental mapear os processos de produção, ou seja, aqueles que resultam no produto final ou no serviço prestado.

Dessa forma, a empresa detecta oportunidades de melhorias e ainda pode fazer o compartilhamento das informações com facilidade. A administração do conhecimento é relevante para tornar mais fácil o treinamento de colaboradores novos, como uma prática para expandir a empresa ou de recursos humanos.

Priorização e monitoramento de riscos

A empresa deve fazer uma lista elencando quais são os riscos mais importantes, considerando dois critérios: probabilidades e impactos. Aqueles que se mostram mais relevantes e mais prováveis de acontecer devem ser priorizados.

Além de priorizar os riscos, o gestor precisa desenvolver um plano de monitoramento com ações que permitam identificar os riscos com antecedência.

Plano de contingência

Quando o gestor está consciente dos tipos de riscos empresariais que ameaçam seu negócio, fica mais fácil determinar as ações que serão tomadas caso eles venham a se tornar reais.

O gestor deve definir os responsáveis e o que devem fazer. Para isso, é preciso realizar treinamentos e capacitações. Afinal, para evitar surpresas indesejáveis, os colaboradores devem saber o que fazer diante de certas ameaças.

Também é essencial contratar um seguro empresarial, que serve para conferir proteção à organização. É uma proteção abrangente, feita somente em uma apólice. Ela assegura indenizações, caso a empresa venha a sofrer prejuízos. Veja a seguir alguns tipos de seguro.

Seguro patrimonial

No Brasil, contratar um seguro que cubra danos decorrentes de incêndios é obrigatório. Caso não o tenha, a empresa é obrigada a pagar multas ou será proibida de funcionar.

Além do seguro obrigatório, existem outras apólices que consideram o ressarcimento em outras situações, como:

  • furtos ou roubos;
  • despesas fixas de emergência;
  • danos elétricos;
  • acidentes com a frota da organização;
  • perda causada por vandalismo;
  • catástrofes da natureza.

Responsabilidade civil

O seguro de responsabilidade civil é relevante para as empresas prestadoras de serviço, como as empresas que atuam em eventos, com times que trabalham nas dependências dos clientes ou usam máquinas de terceiros.

Essa cobertura cobre os prejuízos que são provocados ao patrimônio de terceiros. A seguradora faz o reembolso dos gastos referentes à indenização dada a eles.

Seguro de Acidente de Trabalho

Em relação aos acidentes de trabalho, existe o SAT (Seguro de Acidente de Trabalho), que é um seguro obrigatório. Ele garante uma indenização ao colaborador que venha a sofrer qualquer acidente no seu ambiente ocupacional.

Seguro de dados

No caso de ameaças cibernéticas, o seguro garante a proteção financeira caso a empresa seja vítima de algum ataque, incluindo medidas de proteção durante investigações e inquéritos.

Seguro de vida

O seguro de vida para os funcionários e para os sócios também é relevante para a empresa. É uma ferramenta valiosa para se precaver contra imprevistos que envolvem o capital humano do negócio.

Outros tipos de seguros

Além do seguro de vida, o gestor pode contratar seguros odontológicos e de saúde, de previdência corporativa e até para assegurar capital de giro durante momentos críticos.

Soluções de prevenção à fraude

Quando o assunto é monitoramento de riscos, a prevenção à fraude é tópico indispensável. Cada vez mais frequentes no universo online, os golpes cibernéticos podem causar prejuízos que impactam desde a parte financeira das empresas até a reputação e confiança que os clientes têm sobre ela.

E aqui, uma série de alternativas são aplicáveis. Para e-commerces, por exemplo, contar com uma boa solução antifraude, capaz de garantir boas taxas de aprovação dos pedidos, com um tempo rápido de resposta, ao mesmo tempo em que reduz os índices de chargeback é uma excelente alternativa.

Para bancos, financeiras e fintechs, é possível dispor de uma solução de apoio na análise e concessão de crédito inteligente, capaz de combinar diferentes indicadores com o objetivo de prever qual é o valor mais adequado e a capacidade do solicitante em honrar com os pagamentos. Desta forma, a concessão passa a ser mais assertiva, as aprovações mais justas e as cobranças diminuem.

Para empresas que mantêm relações comerciais com outros CNPJs, como marketplaces ou plataformas de delivery, a redução de riscos empresariais passa por uma investigação minuciosa sobre as pessoas jurídicas parceiras. Assim, uma solução de background check, capaz de trazer dados que sinalizem riscos de fraudes, existencia de Pessoas Politicamente Expostas ou mesmo de CPFs que constam em listas de restrições nacionais e internacionais é de grande valia.

E estes são apenas alguns exemplos. Nossa intenção com este conteúdo foi mostrar a você, leitor, os principais tipos de riscos empresariais e como se prevenir contra eles. Sabermos que conhecer os perigos é a melhor estratégia para combatê-los.

E a ClearSale pode te ajudar nessa tarefa. Nós possuímos um portfólio completo de soluções antifraude que atuam do onboarding às transações, passando pela proteção das marcas no ambiente virtual. Entre em contato e conheça a melhor solução para o seu negócio!

Título

Ao fornecer suas informações, você declara estar ciente de nossa Política de Privacidade e aceita que a ClearSale envie informativos, ofertas e outros materiais.

Escrito por

A ClearSale é especialista em soluções antifraude nos mais diversos segmentos, como e-commerce, mercado financeiro, vendas diretas, telecomunicações e seguros, sendo pioneira no mapeamento do comportamento do consumidor digital. A empresa equilibra tecnologia e profissionais especializados para entregar os melhores indicadores aos clientes e movimentar o mercado com segurança e confiança.

Assine nossa newsletter

Ao fornecer suas informações, você declara estar ciente de nossa Política de Privacidade e aceita que a ClearSale envie informativos, ofertas e outros materiais.