<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1822643671395020&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
31/05/2021 •
2 min. de leitura

Entenda sobre contas falsas nas redes sociais e como se proteger

 

Em poucos minutos, é possível criar uma conta nas redes sociais para interagir com outros usuários, anunciar produtos e oferecer serviços. No entanto, alguns indivíduos utilizam essas ferramentas para criar contas falsas, com o intuito de aplicar golpes e fraudes em massa.

As contas falsas nas redes sociais estão ganhando uma dimensão de verdadeiro negócio online. Para se ter uma ideia do problema, em 2019, o Facebook removeu 6,5 milhões de contas falsas por dia na rede social, e esse número tende a aumentar diariamente.

Para as plataformas de mídias sociais, essas contas falsas significam um alto custo operacional e um baixo crescimento. No caso dos usuários que são enganados, essa atuação resulta em prejuízos financeiros e psicológicos.

Pensando nisso, preparamos este artigo para que você entenda o aumento de contas falsas em redes sociais, destacando como se proteger nesse cenário. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

Como surgem as contas falsas nas redes sociais e quais as motivações?

A prática de criar contas com o nome de outras pessoas, de certa forma, sempre foi bastante comum. Antigamente, esses perfis eram criados, na maioria das vezes, por adolescentes como forma de entretenimento. Porém, com a facilidade de criar uma conta falsa e a oportunidade de ter um certo anonimato online, logo começaram a surgir perfis buscando enganar e extorquir usuários. 

De modo geral, essas contas são criadas com a intenção de levar informações falsas ou induzir usuários a golpes e outros tipos de prejuízos. Contas falsas se passando por bancos e usuários no WhatsApp que fingem ser empresas para pedir dinheiro, por exemplo, são uma das principais fraudes existentes.

É importante ressaltar que, apesar de muitas plataformas desenvolverem medidas para conter a criação desses fakes, inclusive declaradas em termos de uso, deparar-se com essa situação é mais comum do que muitos imaginam, por isso a importância de se proteger.

De que forma as contas falsas enviam links?

Uma das principais formas que os criminosos utilizam para dar golpes nas redes sociais é por meio do envio de links de ofertas que não existem. Com uma conta falsa, eles anunciam para as vítimas que elas ganharam um desconto e pedem para clicar em um link enviado por e-mail ou fornecerem um código de segurança mandado por SMS.

Contudo, o link leva as vítimas para um site malicioso, utilizado normalmente para invadir aplicativos bancários e clonar o WhatsApp da vítima.

Além disso, dados da Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) mostram as tentativas de fraudes e golpes mais comuns no setor financeiro. Confira.

Golpe da clonagem do WhatsApp

Trata-se de um golpe em que o criminoso geralmente envia uma mensagem pelo app fingindo ser de uma empresa conhecida que a vítima é cadastrada. Eles pedem o código de segurança enviado por mensagem pelo aplicativo, certificando que se trata de uma atualização, manutenção ou confirmação de cadastro.

Golpe de engenharia social com WhatsApp

Nesse tipo de fraude, o criminoso utiliza a estratégia de pegar dados pessoais da vítima e de seus contatos no WhatsApp. Em seguida, com um novo dispositivo, ele envia mensagens para conhecidos da vítima, informando que precisou trocar de número por causa de algum problema. A partir daí, solicita uma transferência por meio do PIX, falando que está em uma situação de emergência.

Golpe do falso funcionário e das falsas centrais telefônicas

No golpe do falso funcionário e das falsas centrais telefônicas de instituições financeiras, eles entram em contato com a vítima se passando por um colaborador do banco ou da empresa em que o cliente é ativo. O golpista fornece auxílio de modo que o cliente cadastre a chave Pix, ou relata que o usuário necessita realizar um teste com o sistema de pagamentos instantâneos com o objetivo de normalizar seu cadastro, induzindo o cliente a transferir dinheiro.

Golpe do bug do Pix

Outra fraude muito comum atualmente é o bug do Pix, ou seja, um tipo de falha que acontece ao efetuar algum serviço eletrônico. Nesse caso, os golpistas anunciam que, devido ao problema no Pix, é possível ganhar uma quantidade de dinheiro maior do que foi transferido para chaves aleatórias. No entanto, ao realizar o procedimento, o cliente envia dinheiro para eles.

Como se proteger dessa situação?

Sem dúvida, a melhor forma de se prevenir desse cenário é adotando alguns mecanismos e recomendações úteis para a identificação de um perfil falso, assim como ajustando seus parâmetros de privacidade para impedir que pessoas desconhecidas tenham acesso aos seus dados pessoais.

A seguir, confira algumas dicas de como se proteger de contas falsas nas redes sociais!

Não entre em links suspeitos

Mensagens que divulgam sorteios ou oferecem brindes geralmente chegam nas redes sociais acompanhadas de links suspeitos. Muitas vezes, o endereço pode até parecer com o de uma empresa conhecida, mas direciona o usuário a uma página falsa.

Portanto, ao receber qualquer link nas redes sociais, analise com cuidado o conteúdo da mensagem. O WhatsApp, por exemplo, efetua verificações automáticas para determinar se um link é suspeito, com o objetivo de proteger sua privacidade.

Não forneça dados pessoais a qualquer pessoa

Em geral, os dados pessoais dos clientes nunca são solicitados por instituições financeiras ou empresas, nem sequer funcionários de bancos ligam para clientes a fim de realizar testes com transferência. Portanto, fique atento às solicitações e procure a empresa para obter esclarecimentos.

Além disso, os usuários sempre devem suspeitar quando recebem uma mensagem de algum contato solicitando dinheiro de forma urgente. O ideal é não realizar qualquer tipo de transferência até entrar em contato com a pessoa que solicitou o dinheiro.

Ative a verificação em duas etapas

Outra dica importante para evitar cair em golpes no WhatsApp é habilitar, no aplicativo, a opção “Verificação em duas etapas”. Desse modo, você pode realizar o cadastro de uma senha que será solicitada regularmente pelo aplicativo. Lembre-se de que essa senha não pode ser repassada para outras pessoas ou digitadas em links recebidos.  

Denuncie os perfis falsos

Praticamente todas as redes sociais apresentam ferramentas de denúncia que avaliam possíveis perfis falsos. Nesse caso, basta localizar a conta suspeita e buscar entre as opções a alternativa “Denunciar”. Além das denúncias, recomenda-se que a vítima busque o máximo de provas sobre a atuação indevida, como prints da conta, conversas privadas e publicações realizadas pelo perfil falso. Essas informações facilitam a operação dos agentes de segurança.

Como vimos, as contas falsas nas redes sociais estão cada vez mais frequentes. O ideal, nessa situação, é se prevenir contra qualquer ataque de criminosos e manter os cuidados necessários com seus dados pessoais. Portanto, siga as nossas dicas e evite possíveis problemas!

Gostou do nosso artigo? Então, aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais, assim você ajuda os seus amigos a também ficarem por dentro do assunto!

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.