<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1822643671395020&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
10/07/2019 •
2 min. de leitura

O que é score de fraude e como usá-lo corretamente em sua loja

 

Mais do que um simples número, o score de fraude precisa estar adaptado às necessidades de cada loja e ser usado com correção e cuidado pelos varejistas

 

 

Resumo do post:

- Lojas virtuais precisam gerir o score de fraude corretamente

- O que é exatamente o score de fraude

- Como usar o score de fraude corretamente

- Como ter o melhor score de fraude do mercado

Não é novidade que os varejistas do comércio eletrônico que desejam o sucesso do negócio precisam alcançar o máximo de aprovação em pedidos de clientes, com baixo índice de chargeback e uma taxa quase nula de falsos-positivos. Para que isso aconteça, a gestão correta do score de fraude é fundamental. No entanto, para obter o benefício do bom uso desse score, é necessário conhecê-lo e saber como usá-lo corretamente.

O que é o score de fraude?

Basicamente, o score de fraude é um número gerado por soluções especializadas, com base em todos os tipos de detalhes de uma transação – nome, endereço, CPF, dispositivo utilizado, meio de pagamento utilizado, etc – que indica a propensão de um pedido ser, ou não, fraudulento.

Como usar o score de fraude corretamente?

Além de manter a solução antifraude constantemente calibrada e atualizada, o varejista precisa ter em mente que o score de fraude é uma base importante de uma avaliação um pouco mais complexa, que idealmente deve ser feita por inteligência humana especializada.

Ou seja, utilizar o score de fraude como único parâmetro para aprovação de pedidos pode ser perigoso, já que ele pode induzir o comerciante a barrar pedidos de consumidores legítimos, o que causa, além do prejuízo por não vender, um dano de imagem que tem potencial para ganhar proporções desastrosas ao negócio.

Conheça o Data Trust, a mais nova solução da ClearSale

Aliás, é um ciclo vicioso, pois os falsos-positivos ​​não dão qualquer feedback ao modelo que gera o score de fraude, e, portanto, não podem ajudar o sistema a se tornar mais hábil em distinguir o comportamento legítimo do fraudulento.

É importante ressaltar, também, que o score de fraude de uma loja virtual só será eficiente se for utilizado com base nas variáveis ​​que são importantes para o segmento no qual o negócio está inserido.

Por exemplo: varejistas que vendem produtos físicos podem considerar as informações de endereço de entrega como extremamente importantes para o score de fraude, porque é assim que os clientes obtêm o produto. Mas para o setor de viagens, como os clientes recebem passagens aéreas e outras confirmações por e-mail, os endereços de entrega podem ser menos importantes quando comparados ao caso anterior.

Como ter o melhor score de fraude

Escolher o serviço ideal para gerar um score de fraude correto depende da indústria, dos negócios e da maneira como eles vendem seus produtos e serviços. E, mesmo assim, as pontuações de fraude podem não capturar verdadeiramente o potencial de risco total de uma transação.

Portanto, se o score de fraude sozinho não oferece uma proteção abrangente, o que os comerciantes podem fazer para reduzir sua exposição ao risco é buscar ajuda com parceiros especializados que equilibram tecnologia de ponta e mão de obra ultra especializada para fornecer uma gestão antifraude completa e com excelentes indicadores.

O programa abrangente de prevenção a fraudes da ClearSale pode ser a resposta. Usando uma combinação única de pessoal altamente treinado e inteligência artificial avançada, a ClearSale tem ajudado empresas em todos os setores do mercado a reduzir o risco de fraude e melhorar consideravelmente índices de aprovação, taxa de chargeback e incidência de falsos-positivos.

Conteúdo relacionado:

Chargeback: dicas para evitar este problema em seu negócio

Acessibilidade no e-commerce: sua loja está adaptada para todos os clientes?

E-commerce do Brasil tem alta de 16% no 1º trimestre

Como identificar e controlar falsos-positivos no e-commerce

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.