10/06/2021 •
2 min. de leitura

Vazamento de dados: como se proteger? Veja agora!

 
 

O uso cada vez mais frequente das redes e sistemas digitais permite o armazenamento de arquivos, a troca de informações entre clientes e empresas, a realização de transações bancárias e outras operações. Atentos a esse fenômeno, muitos criminosos têm se aproveitado do crescimento da internet para organizar ações criminosas e obter vantagens ilícitas.

Diante desse cenário preocupante, aumentam os riscos de ataques aos sistemas e vazamentos de dados sigilosos. Como consequência, a pessoa pode ter seus dados expostos na rede. No caso de esse problema afetar uma corporação, a empresa pode passar por dificuldades na continuidade das atividades, além de sofrer graves prejuízos financeiros e danos à sua imagem e reputação.

A boa notícia é que é possível utilizar estratégias específicas de segurança da informação para proteger os arquivos e evitar o surgimento de vulnerabilidades no sistema. Quanto antes isso for feito, menores serão os riscos de problemas para o seu negócio. Afinal, a implementação de medidas preventivas é a melhor opção para quem deseja manter o banco de dados sempre protegido.

Quer garantir a segurança da informação na sua empresa e evitar a invasão do sistema? Neste post, você vai entender o que é o vazamento de dados e como se proteger dessa situação. Acompanhe a leitura e confira os detalhes!

O que é o vazamento de dados?

O vazamento de dados consiste na exposição de informações privadas e confidenciais de pessoas físicas ou jurídicas. Tais informações estão armazenadas em um ambiente virtual e somente são acessadas por pessoas autorizadas.

Trata-se do resultado bem-sucedido de uma conduta criminosa que ocorre no ambiente digital. Criminosos organizam ações com o intuito de ludibriar os usuários e aplicar golpes, por meio da invasão do banco de dados e a exposição das informações ali contidas sem o consentimento do dono.

Sendo assim, quando terceiros têm acesso a essas informações, eles utilizam essa facilidade para vender os dados na internet ou usá-los para outros fins, como a realização de operações bancárias se passando pela vítima, por exemplo. Esse acidente na segurança, que costuma acontecer por meio de um ataque cibernético, expõe dados sensíveis na rede. Em alguns casos, as informações poderão ser visualizadas, copiadas e transmitidas por qualquer pessoa.

O vazamento de dados costuma abranger:

  • números e informações sobre cartão de crédito;
  • identificadores pessoais, como CPF, CNH e identidade;
  • Informações da empresa;
  • listas de clientes, contendo dados cadastrais de cada consumidor;
  • processos de fabricação de produtos;
  • código-fonte de software;
  • folha de pagamento de funcionários;
  • contratos com empresas parceiras etc.

Quais são as causas do vazamento de dados?

O vazamento de dados pode ser causado por diversos fatores, como:

  • ataques cibernéticos: envolve a ação de malwares, phishing, spywares e ransomware;
  • erros nas configurações de segurança do sistema: códigos falhos de criptografia, 
  • falta de conhecimento técnico e negligência dos próprios usuários: como a não realização de backups e download de arquivos suspeitos que podem conter mecanismos maliciosos e que causarão prejuízos à máquina.

Por que os vazamentos de dados acontecem?

Os vazamentos de dados são uma preocupação constante de gestores, administradores e líderes de empresas. Esse risco existia antes mesmo do advento da internet. No entanto, com a popularização desse sistema e o uso massivo do mundo virtual, as ameaças cresceram exponencialmente.

Nesse sentido, é correto afirmar que a internet apenas facilitou as ações criminosas em massa, contribuindo para a efetivação da invasão aos sistemas e o furto de grandes volumes de dados.

Concorrência

A concorrência acirrada em um determinado segmento pode ensejar a ação covarde e injusta de criminosos, com o mero intuito de enfraquecer a reputação do adversário e se destacar perante a área de atuação, passando a ser reconhecida como a empresa mais forte e segura do mercado.

Sabemos que a invasão de sistema causa impactos negativos para a imagem e reputação das empresas, que passam a ser vistas como não confiáveis e menos seguras. Sendo assim, os parceiros podem ficar mais receosos em concluir negociações com essa instituição. Da mesma forma, os clientes podem perder a confiança na empresa, fato que gera a diminuição de vendas e perdas financeiras.

Momentos de crises

As crises envolvem momentos de incerteza e instabilidades financeiras. A pandemia de Covid-19 é um claro exemplo desse problema. Diante desse cenário, os criminosos tendem a aumentar a quantidade de ataques cibernéticos. Os ataques aumentaram consideravelmente no último ano e tendem a se manter cada vez mais frequentes.

Os alvos mais desejados são ambientes corporativos que armazenam muitos dados valiosos e que dispõem de segurança duvidosa. É por isso que as empresas de grande porte e organizações governamentais são os alvos principais dessas ações criminosas. E, portanto, devem investir pesado em segurança da informação.

Anseios pessoais criminosos

Alguns criminosos têm anseios pessoais de enriquecer às custas de ações despercebidas ou enganando as vítimas. Essa manobra é muito comum no caso de comunicação de falsas promoções, realização de ofertas e concessão de benefícios enganosos aos usuários.

Muitas pessoas ainda não têm o pleno discernimento para distinguir que estão caindo em um golpe. Em troca, o criminoso obtém os dados pessoais das vítimas, como nome, CPF, identidade, endereço, cartão de crédito e senha etc. A partir dessas informações obtidas, ele consegue realizar compras com o cartão de crédito da vítima, fechar contratos de financiamentos, obter empréstimos e outros negócios.

Falta de segurança

A ausência de segurança adequada na infraestrutura de TI das empresas permite que mecanismos maliciosos encontrem brechas nos sistemas e assim, consigam invadir o sistema e ter acesso a dados que estão ali armazenados. Isso pode se dar por falta de autenticação no acesso, códigos de criptografia ineficientes, falta de atualização do sistema, ausência de mecanismos de validação, programação equivocada etc. Tudo isso facilita o ataque de cibercriminosos e permite a atuação de forma escalável e ágil.

Como evitar o vazamento de dados?

É possível reduzir os riscos de vazamentos de dados por meio da implementação de uma gestão de risco que envolve a detecção, a contenção e a comunicação de falhas de segurança para a equipe competente. Desse modo, os profissionais responsáveis poderão agir quanto antes para solucionar o problema — e, como consequência maior, evitar diversos prejuízos financeiros de magnitudes distintas.

Confira, a seguir, algumas medidas preventivas que contribuem para evitar o vazamento de dados, tanto pessoais quanto corporativos, e garantir a segurança da informação.

Utilize senhas fortes

Crie senhas de acesso fortes que dificultem a descoberta por criminosos e máquinas automatizadas. Existem softwares desenvolvidos apenas para o propósito de fazer combinações numéricas e adivinhar senhas. Nesse sentido, o seu papel é coibir a ação dessas ferramentas e utilizar senhas difíceis.

Use senhas com, pelo menos, oito caracteres. Entre eles, misture números, letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos. Dessa forma, fica difícil descobrir a senha. Além disso, é importante não deixar as senhas salvas no navegador, pois qualquer mecanismo malicioso pode ter acesso ao seu computador e resgatar essas senhas.

Adote a autenticação de dois fatores

Essa estratégia protege a invasão ao sistema, pois cria uma espécie de camada adicional de segurança. Sendo assim, além do login tradicional, o usuário deverá inserir um código novo que é gerado, automaticamente, a cada novo acesso. O indivíduo deve inserir o código enviado, geralmente por SMS ou que aparece na própria tela do smartphone, assim terá acesso ao seu e-mail e demais sistemas protegidos. Essa medida é muito utilizada em aplicativos de celular, como o Google Authenticator.

Tenha um controle de acesso

O controle de acesso consiste em qualquer mecanismo ou equipamento que permite o acesso ao sistema mediante a comprovação de que o usuário está devidamente autorizado, impedindo que terceiros não cadastrados tenham acesso às informações contidas no sistema ou entrem no ambiente protegido.

Ele pode ser feito de várias maneiras, como é o caso de reconhecimento facial ou por voz, biometria e escaneamento da íris do olho. Trata-se de ferramentas de alta tecnologia que proporcionam mais segurança para os sistemas. 

A gestão dos controles de acesso pode ocorrer de várias maneiras. Confira a seguir mais detalhes sobre isso.

Controle de acesso físico

É utilizado para fazer o gerenciamento do fluxo de pessoas. Por isso, conta com um segurança ou guarda que ficará responsável pela averiguação e observação do ponto de entrada ao acesso, como portões e cancelas, e sistemas eletrônicos, como catracas e fechaduras.

Controle de acesso lógico

O controle lógico utiliza dispositivos de tecnologia eletrônica para permitir o acesso dos usuários aos ambientes, por meio de reconhecimento facial, biometria digital, cartão de proximidade, reconhecimento de voz e leitura da íris.

De modo geral, a biometria e o reconhecimento da íris costumam ser as tecnologias mais confiáveis. Isso porque se tratam de características únicas e individuais, fato que reduz os perigos de fraudes.

Conscientização sobre as boas práticas

No que se refere às empresas, é necessário implementar ações de educação e conscientização aos colaboradores, de modo que eles saibam como proteger os sistemas e agir da maneira adequada e otimizada, nos casos de urgência que envolvem a vulnerabilidade dos sistemas e eventual invasão.

Nesse sentido, os líderes das corporações devem organizar palestras, cursos e demais ações internas que visam ao esclarecimento de assuntos referentes à segurança da informação e a prevenção do vazamento de dados. Afinal, a dinâmica do mercado e a intensidade das relações exigem uma postura proativa e consciente dos funcionários da empresa.

O papel da empresa é conscientizar os colaboradores sobre os perigos da exposição pública de dados pessoais e corporativos. Geralmente, tais informações apresentam um alto valor agregado, sendo, por isso, consideradas como verdadeiros ativos para as empresas.

Nesse sentido, qualquer vazamento é capaz de comprometer a imagem da empresa e afetar a sua credibilidade, pois o mercado não a verá mais como uma instituição confiável, principalmente dependendo do porte da empresa. Como consequência, a atividade comercial do negócio poderá estar em risco.

Política interna de segurança

A própria empresa deve elaborar a sua política interna de segurança contendo diretrizes e normas específicas. Dessa forma, todos os indivíduos que trabalham no ambiente corporativo tomarão conhecimento das regras existentes. Logo, não poderão alegar desconhecimento em caso de descumprimento.

Os procedimentos devem estabelecer regras a todos os colaboradores, como a proibição de acesso de contas pessoais de e-mail nas máquinas coletivas, a vedação ao download de arquivos desconhecidos e suspeitos, métodos de avaliação da eficácia das correções necessárias, forma de acesso ao sistema, como agir em caso de vazamentos, responsabilidade dos colaboradores no caso de vazamentos etc.

Treinamento das equipes

As equipes devem ser devidamente treinadas para estarem capacitadas e atualizadas com relação às novidades do mercado de segurança da informação. Os funcionários devem saber como agir e ter uma conduta sempre proativa e preocupada em proteger os bens da empresa.

De um modo geral, a capacitação das equipes na empresa costuma abranger as seguintes estratégias:

  • simulação de situações que ocasionam o vazamento de dados, como é o caso de técnicas de engenharia social, com o intuito de preparar os funcionários;
  • capacitação no sentido de assegurar que os dados sejam criptografados de acordo com as ações desempenhadas, sempre obedecendo aos protocolos e políticas de segurança;
  • adequação aos processos, de modo a torna-los mais ágeis, eficientes e dinâmicos, e garantindo que eles se mantenham alinhados com a lei e legislações que estão em vigor no ordenamento jurídico;
  • assegurar a contribuição eficiente e efetiva dos empregados, nos casos de necessidade.

Plano de resposta ao vazamento de dados

Até mesmo uma empresa que adota medidas de segurança recomendadas por especialistas não está totalmente imune ao ataque cibernético. Mesmo assim, ainda há o risco de se tornar uma vítima de vazamento de dados. Afinal, criminosos aproveitam de minúsculas brechas de segurança para conhecer uma vulnerabilidade e instalar mecanismos nocivos no sistema.

É por isso que a equipe de TI deve elaborar um plano de respostas em caso de eventuais vazamentos de dados. Trata-se de um conjunto de ações organizadas que serão colocadas em prática nos casos em que o sistema da empresa for ameaçado e estiver em perigo. Essa espécie de roteiro servirá para orientar as equipes e clientes sobre como proceder para diminuir o impacto e os danos acarretados pelos ataques e vazamento de dados.

O tipo de plano de resposta costuma variar conforme a realidade da empresa (nicho de atuação, porte, quantidade de funcionários, faturamento bruto e líquido etc). De forma, geral, o planejamento de respostas apresenta os seguintes elementos:

  • análise prévia sobre os impactos que o vazamento de dados traz para os negócios;
  • levantamento de estratégias para permitir que a empresa se recupere do ataque;
  • mapeamento de dados confidenciais valiosos e críticos de titularidade da empresa;
  • estudo e estipulação de medidas para proteção, conforme o tipo de ataque sofrido;
  • levantamento dos riscos inerentes à estrutura de TI da empresa e o consequente apontamento das vulnerabilidades;
  • estudo da legislação que trata sobre o assunto referente à invasão do sistema, violação e vazamento de dados, com o objetivo de tomar as medidas judiciais cabíveis.

Existem casos reais de vazamento de dados?

O grande volume de informações produzidas diariamente pelas empresas exige um sistema robusto e forte para garantir a proteção dos dados. No entanto, mesmo as grandes corporações e multinacionais estão suscetíveis a ataques cibernéticos que acarretam invasões e vazamentos. Confira alguns casos reais sobre o vazamento de dados em empresas.

Yahoo!

A gigante Yahoo! é uma empresa multinacional que presta serviços diversos na web, oferecendo e-mail gratuito, portal de notícias, fórum de perguntas e respostas, e dezenas de outras funcionalidades. Mesmo diante de tamanha grandiosidade, isso não impediu que essa empresa fosse vítima de ataques cibernéticos.

Em 2013, um ataque os servidores da Yahoo, em decorrência de spear phishing, acarretou a exposição de 3 bilhões de contas e dados pessoais dos usuários, como nome, data de nascimento, senha, telefone etc.

O curioso é que o fato só foi descoberto em outubro de 2017, na época em que a Yahoo! foi vendida para a Verizon. O ataque trouxe um prejuízo efetivo de 350 milhões de dólares do valor de venda da Yahoo! perante o mercado. Foram roubados nomes, datas de nascimento, telefones e senhas armazenadas com criptografia fraca. 

Aadhaar

Aadhaar consiste em um projeto nacional de identidade digital criado, em 2009, pela Autoridade de Identificação Única da Índia (Unique Identification Authority of India). O sistema conta com milhares de dados pessoais, de identidade, como é o caso de impressões digitais, biometria e dados demográficos de cerca de 1 bilhão de indianos. Na verdade, a população deve se cadastrar no sistema da Aadhaar para terem acesso aos serviços públicos.

Em março de 2018, falhas causadas na API de sites ocasionaram a exposição de dados de titularidade de mais de 1.1 bilhão de indianos.

First American Corporation

A empresa americana de seguros e atividades financeiras teve os dados confidenciais vazados de mais de 885 milhões de registros, em 2019. A causa divulgada foi falhas no desenvolvimento do aplicativo.

Os dados expostos eram extremamente sigilosos e continham informações bancárias de clientes e dados pessoais. Os documentos estavam acessíveis a todos, bastava usar o link e alterar um dígito, sem a necessidade de acesso por login, senha ou nem sequer por duplo fator de autenticação.

Verifications.io

Esse foi um dos maiores casos de vazamento de dados da história da internet. A exposição do banco de dados da Verifications.io, empresa que efetua a validação de e-mails para empresas de e-mail marketing, revelou informações de 150 GB. Trata-se de mais de

763 milhões de registros de usuários vazados online, como nomes, e-mails, endereços, dados bancários, telefones, credenciais de redes sociais e dados de crédito de consumidores e instituições financeiras.

Microsoft

A gigante da tecnologia não está imune à invasão de seus sistemas. Em dezembro de 2019, diversas falhas nas configurações de segurança do banco de dados da Azure acarretaram a exposição de 250 milhões de registros, que se tornaram acessíveis para qualquer um que utilizasse a web. As informações exibidas envolviam e-mails, números de contrato, informações de pagamento, IPs das máquinas, descrições de suporte e notas internas consideradas como confidenciais.

Marriot / Starwood

Em novembro de 2018, a multinacional Marriot teve mais de 500 milhões de registros de clientes vazados. A divulgação da causa foi uma infecção de RAT (Remote Access Trojan) por ações de phishing. Entre as informações expostas incluíam-se nomes, números de passaporte, informações de contato, dados de bancos e informações pessoais.

Por sua vez, o sistema da Starwood foi invadido em 2014, mas o acesso dos criminosos foi possível até a compra da Starwood pelo grupo Marriot em 2016. Somente em 2018, a invasão ocorrida em 2014 foi descoberta pela equipe de tecnologia.

Capital One

A Capital One, um dos principais bancos dos Estados Unidos, teve os dados expostos na rede, o que representava, aproximadamente, 106 milhões de registros de usuários. O fato ocorreu em março de 2019 e teve como causa uma falha nas configurações de segurança nos firewalls pertencentes à empresa Amazon. As informações vazadas traziam números pessoais de Previdência Social, seguridade social, contas bancárias, endereços, pontuação e limites de crédito, saldo na conta e outras informações sigilosas.

Se você chegou até aqui, notou os prejuízos que o vazamento de dados pode trazer para uma empresa. O avanço da tecnologia, o crescimento da internet e o aumento dos procedimentos desenvolvidos no mundo digital veio para facilitar a rotina dos usuários e otimizar as operações das empresas. Nesse sentido, é essencial estar preparado para enfrentar esse problema, caso seja necessário e defender a continuidade das operações do seu negócio.

No entanto, existem riscos que precisam ser mencionados. Criminosos estão arquitetando estratégias maliciosas cada vez mais rebuscadas para invadir os sistemas e causar o roubo e vazamento de dados.

Diante desse fato preocupante, é essencial que as empresas utilizem estratégias especiais para manter os sistemas atualizados e protegidos contra esses riscos. Afinal, o vazamento de dados deve ser um sinal vermelho de alerta para as equipes de TI.

Quer garantir a segurança da informação dos sistemas da sua empresa? Nós podemos ajudar! Entre em contato com a ClearSale agora mesmo e conheça as nossas soluções disponíveis para proteger a sua empresa. Será um prazer atendê-lo.

 

Título

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.