24/08/2021 •
2 min. de leitura

Identidade digital: quais os benefícios e como pode ser feita?

 
 

Conversar com uma pessoa de outro país, pedir uma pizza e justificar o voto eleitoral do ano de 2020: o que essas coisas têm em comum? Bem, todas elas podem ser feitas em alguns segundos por meio de um smartphone, por exemplo. Hoje, a tecnologia está presente em tudo que fazemos, inclusive na hora de lidar com documentos importantes e pessoais, como os de identificação.

Você já ouviu falar, por exemplo, da identidade digital? Ela é parte do Documento de Identificação Nacional (DNI), que reúne diversos documentos que o brasileiro costuma carregar na carteira em um local só. A proposta é nova, mas está prestes a fazer parte da vida de milhões de brasileiros, que aproveitarão as suas muitas vantagens. Então, vale a pena conhecer! Quer saber mais sobre o tema? Continue a leitura!

O que é identidade digital?

Antes de sair de casa, é recomendado que o cidadão residente no Brasil leve consigo o Registro Geral (RG), o Cadastro de Pessoa Física (CPF), a certidão de nascimento e a de casamento e, em muitos casos, o Título de Eleitor. Ainda que estejamos acostumados, é certo que seria mais fácil ter acesso a todos esses documentos de maneira unificada, não é verdade? Pois essa é a proposta da identidade digital.

Ela é um novo modelo de identificação administrado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A ideia é levar praticidade aos brasileiros que cadastraram as suas biometrias, permitindo que compilem, em um só documento 100% digital, chamado de DNI:

  • a CNH;
  • o RG;
  • o CPF;
  • o Título de Eleitor.

Quem pode utilizá-la?

Em teoria, todo e qualquer brasileiro com a biometria registrada pode usar a identidade digital. Em alguns estados, como SP, há ainda outras facilidades disponíveis, como o aplicativo RG Digital, que simplifica a confirmação de identidade. Mas, com a pandemia, que suspendeu os atendimentos presenciais das Justiças Eleitorais, o processo passa por dois grandes desafios.

O primeiro é o fato de não ser possível registrar a biometria no momento. Isso impede que as pessoas interessadas no DNI possam dar entrada. O segundo é o distanciamento, que impossibilita o atendimento presencial. Porém, é preciso ter em mente que essas questões são temporárias, o que não impede que os interessados já fiquem a par dos passos envolvidos na "emissão" do documento digital. Assim, será possível dar entrada no processo logo quando os atendimentos presenciais voltarem a ser oferecidos.

Quando ela pode ser usada?

A proposta dos administradores da identidade digital é que, com o tempo, ela substitua por completo a versão física. Então, o documento pode ser usado em qualquer situação que peça a confirmação de identidade, desde que a emissão tenha sido realizada corretamente. A expectativa é de que essa versão virtual só seja aceita por meio dos aplicativos originais e divulgados pelo governo.

Contudo, caso haja conformidade, não há motivos para que o DNI não seja aceito — a não ser em situações que clarifiquem expressamente que o documento físico é exigido. Espera-se, até mesmo, que ele seja usado para embarque e para desembarque em viagens nacionais.

Como funciona?

O funcionamento do DNI é muito simples: basta apresentá-lo nos locais que solicitam a confirmação da identidade. Para garantir que os brasileiros contem com ele, o TSE compila todas as informações do cidadão e insere-as na identidade digital, permitindo que haja total confiabilidade nos dados.

Inclusive, a segurança da informação é uma questão fundamental a ser abordada quando falamos em identidade digital. Afinal, o Brasil é um país que, infelizmente, conta com altos registros de fraude de identidade. Até o final de julho, mais de 16 milhões de brasileiros já tinham passado por algum problema nesse sentido, o que equivale a uma proporção de 56% dos participantes de um levantamento.

Como ela impactará o cenário brasileiro?

O país está sofrendo mudanças expressivas, majoritariamente em função da pandemia. Elas incluem o modo de consumo, o relacionamento com a tecnologia e o esforço das empresas para continuarem a entregar boas soluções aos clientes. Um bom exemplo disso foi o aumento do uso de serviços de delivery.

Entrega em casa

Informações do jornal da USP mostram que o Brasil é um dos maiores destaques no segmento. Inclusive, o crescimento registrado em 2020 foi de 975%. Isso ocorreu especialmente pela necessidade de levar soluções até o consumidor, que estava orientado a não sair de casa. Tendo isso em vista, as organizações precisavam continuar a lucrar para se manterem ativas no mercado — e oferecer o delivery foi a solução.

Confiabilidade

Com essa mudança tão rápida, como garantir a veracidade das informações inseridas pelo comprador? Já que, em teoria, qualquer pessoa poderia se passar por outra com os dados certos em mãos, correto? Esse é, inclusive, um fator apontado como o responsável pelo aumento das fraudes no período.

Em vista disso, a adoção da identidade digital se torna uma grande aliada. O documento estará disponível a qualquer momento para o consumidor que compra online. Assim, no ato de recebimento do pedido — seja de uma simples pizza, seja de um item de maior valor monetário —, ele poderá confirmar ser o verdadeiro comprador.

Cotidiano

Em linhas gerais, o DNI facilita o dia a dia do cidadão. Não é mais necessário carregar diversos documentos consigo, impedindo perdas e garantindo a fácil identificação do sujeito.

Brasileiros sem identidade

Por fim, mas não menos importante, a identidade digital pode ser a oportunidade para registrar milhões de brasileiros, que, hoje, encontram-se fora de diversos sistemas nacionais. Muitos não foram registrados ao nascer, por exemplo. Por isso, eles perdem direitos e benefícios, como o acesso aos programas de assistência do governo, aos serviços de saúde, à educação e a diversas outras soluções públicas.

Como fazer?

O cadastro é elaborado por biometria. Logo, em primeiro lugar, é fundamental que o interessado verifique se está cadastrado no site da Justiça Eleitoral. Se a reposta for negativa, é necessário seguir com o cadastramento. Ainda no site da Justiça Eleitoral, selecione o seu estado e clique em “agendar atendimento”. Você precisará preencher alguns dados.

Em poucos momentos, o site abrirá a opção de selecionar a Zona Eleitoral e de inserir o Título de Eleitor. É fundamental ter esses dados consigo. Por fim, é só selecionar a data e a hora mais convenientes para ir até o local finalizar o processo — quando estiver disponível.

Em seguida, já será possível dar início ao cadastro do DNI. Antes das recomendações de distanciamento, a ideia era de que a operação fosse feita por um aplicativo oficial e disponível para iOS e para Android. Bastaria instalá-lo, realizar o pré-cadastro (em que eram solicitados alguns dados pessoais) e ir até um posto de atendimento, indicado no app.

Contudo, é importante reforçar que, com a pandemia, os atendimentos presenciais estão suspensos. Assim, é recomendado entrar em contato com a Justiça Eleitoral do seu município, informando-se sobre os pormenores do cadastramento do DNI. Os profissionais o direcionarão rumo aos próximos passos.

Existem outras formas de ter uma identidade digital?

Até o momento, falamos sobre o DNI, a identidade do usuário acessada por aplicativo e proposta pela justiça brasileira. Mas você sabia que existem outros métodos de autenticação da identidade de uma pessoa sem ela precisar estar presente? Um deles é, inclusive, a própria biometria, que valida a identidade de um indivíduo por meio de sua impressão digital. Confira outras a seguir.

Certificado digital

Esse é um documento virtual muito importante, em especial para pessoas físicas (CPF) e jurídicas (CNPJ) que realizam transações online. Ele diz respeito a uma permissão para assinar, validar, transferir e dar valor jurídico a arquivos em diferentes formatos.

Existem vários tipos de certificados desse tipo disponíveis (A1, A3, A4). Mas, além deles, é possível contar com os certificados digitais de confidencialidade e de sigilo (S1, S3, S4), de tempo (T3), o e-CPF, o e-CNPJ, entre outros. O instrumento é tão seguro que inclui a própria assinatura manuscrita do cidadão. Assim, ele tem a mesma validade encontrada ao assinar um documento. Ele já é bastante conhecido e privilegia funcionários e empreendedores de empresas de todos os portes.

Reconhecimento de voz/facial

Essa é outra forma simples de confirmar a identidade de uma pessoa — embora apresente mais falhas que as alternativas anteriores. É possível experienciar esse tipo de identificação diariamente, pelo celular, por exemplo. Se você já cadastrou a sdua voz para conversar com a Siri ou com qualquer outra assistente virtual, já entrou em contato com o método. Além dele, o reconhecimento facial também está em alta.

Análise de íris

Apesar de ser menos comum do que as opções apresentadas, a identificação digital pela íris também é possível. Muitas pessoas não sabem, mas essa é uma região do corpo humano bastante única, conseguindo diferenciar com facilidade uma pessoa da outra. Por isso, ela pode ser usada em casos extremos.

PINS e senhas de acesso

Esse é outro método simples na hora de confirmar que alguém é quem diz ser. Basta inserir a senha para acessar determinado portal ou espaço. Porém, é possível presenciar algumas falhas na inserção de PINs e senhas. Afinal, terceiros podem ter acesso a elas, mesmo que com o consentimento do titular. Além disso, a ação de hackers tende a comprometer a segurança do processo.

Quais são os benefícios de contar com a identidade digital?

Para muitas pessoas, as versões físicas de suas identidades são suficientes. Desse modo, há quem deseje continuar levando os documentos consigo e não se interesse pela novidade digital. Mas será que realmente não vale a pena reconsiderar e contar com as versões tecnológicas? Confira as vantagens que ajudam na tomada de decisão!

Praticidade

Imagine conseguir acessar qualquer evento e realizar as suas compras sem a necessidade de levar uma carteira cheia de documentos (que podem ser perdidos) junto? Esse certamente é um benefício para as pessoas que prezam por minimalismo ao sair de casa. Com a identidade digital, será possível confirmar a sua identidade somente com o seu celular ou tablet em mãos, o que tende a facilitar a rotina.

Desburocratização

Muitas vezes, para assinar um contrato ou realizar uma transação, precisamos autenticar documentos em cartório. Ou, no mínimo, devemos estar presentes no local, confirmando que somos, de fato, o dono daquele RG ou do CPF. Essa é mais uma situação em que a identidade digital traz vantagens — especialmente o certificado digital. Ela simplifica processos burocráticos e agiliza-os.

Emissão de notas fiscais

Essa é outra facilidade que o certificado digital traz. Por ter validade jurídica e o amparo da lei, ele permite que qualquer pessoa emita notas fiscais eletrônicas. Isso é importante para quem trabalha como autônomo ou para quem presta serviços para pessoas físicas e jurídicas.

Sustentabilidade

Cuidar do planeta e do futuro das próximas gerações é um dos assuntos em alta atualmente. Em busca de reduzir a quantidade de matéria-prima necessária em todos os setores, a digitalização ganha espaço, permitindo que a nuvem, os aplicativos e os sites sejam os melhores amigos na hora de produzir e ter momentos de lazer. O governo não fica de fora dessa tendência — e lança novas alternativas on-line para o brasileiro.

Desse modo, investe-se em sustentabilidade. Isso significa que todos nós podemos trabalhar juntos para um futuro com cada vez menos emissão de papel e plástico, priorizando as alternativas virtuais de arquivos, documentos e demais operações do dia a dia.

Redução de custos

Tirar uma nova via de documentos, como o RG, tem custos. E isso não é algo isolado: é provável que você já tenha perdido algum documento ou conheça alguém que o fez. Com a alternativa digital, isso não é mais uma preocupação. É possível acessá-lo de qualquer gadget autorizado — bastando inserir o login e a senha registrados. Esse fato impede que você precise pagar uma nova via em casos de roubos, furtos, perdas e danos.

Segurança

Sem dúvidas, essa é a maior vantagem da identidade digital. Ela garante que você esteja sempre com os seus principais documentos em mãos, podendo comprovar a veracidade de diversas transações e impedir a fraude de identidade. Se você empreende, isso é ainda mais importante! Esse tipo de crime pode trazer consequências sérias para negócios de todos os portes, como:

  • invasões não autorizadas, como as realizadas por hackers;
  • uso inadequado dos sistemas internos pela equipe;
  • compartilhamento de informações confidenciais — usando a identidade do líder como justificativa;
  • problemas de caixa, em função de transações feitas por terceiros usando a identificação da empresa, entre outros.

Em suma, é fundamental prevenir a possibilidade de fraudes, tanto na rotina de pessoa física quanto na da empresa.

Como combater a fraude?

Antigamente, só era possível realizar uma transação — de qualquer porte — se a pessoa estivesse presente fisicamente, tendo os seus documentos pessoais em mãos. Mas, conforme vimos até o momento, esses dias ficaram para trás.

Hoje, já é possível encontrar uma maioria de estabelecimentos, por exemplo, que liberam o acesso aos consumidores por meio da identidade digital, seja o reconhecimento facial, seja uma imagem escaneada do RG. Apesar de esse fato ter trazido muitas vantagens aos cidadãos, também esbarrou em outro problema, que se torna cada vez mais frequente: a fraude. Os fraudadores ganham uma crescente experiência em suas ações, tornando problemas de segurança maiores para as pessoas e para as organizações.

Existem diversos tipos de fraudes nas empresas. Elas são responsáveis por grandes fatias de prejuízos em todos os setores. O combate a elas deve ser uma prioridade aos que desejam gerenciar um negócio com segurança e de forma saudável. Portanto, é essencial tomar medidas pontuais para evitar comportamentos fraudulentos dentro e fora da empresa. Saiba como!

Exija sempre a identidade digital

Na hora de fazer qualquer transação, certifique-se de que está falando com quem deveria. Pode parecer desagradável pedir a identidade de clientes e de parceiros de negócios, mas essa é uma forma simples de garantir que você não está negociando com fraudadores. Isso vale, em especial, para trocas no ambiente on-line. Nesse momento, avalie com cuidado os documentos oferecidos.

Atente à assinatura, ao tamanho dos elementos de confirmação de veracidade do documento, como os brasões, e à qualidade da foto, por exemplo. Caso esteja lidando com a versão física, verifique marcas d’água e impressões em alto-relevo e até o plástico usado na confecção. Com o tempo e a experiência, a verificação ficará mais simples.

Conheça o blockchain

O blockchain conta com uma notoriedade crescente. Antigamente, ele era relacionado apenas a transações feitas com criptomoedas. Mas, hoje, está presente em diferentes espaços que buscam pela prevenção à fraude. Ele se trata de uma tecnologia que descentraliza a informação. Ou seja, lida com grandes volumes de dados assegurando a autenticidade da transação — mas garantindo a privacidade de quem a realiza.

Desse modo, a inovação impede com sucesso a fraudação da identidade digital, pois usa assinaturas digitais que responsabilizam unicamente quem realiza a movimentação. Ela não poderá ser alterada, o que garante segurança a todos os envolvidos. Usá-la na empresa pode ser bastante útil!

Conte com a tecnologia

Além do blockchain, existem centenas de milhares de ferramentas inovadoras, capazes de combater as fraudes, espalhadas por todo o mundo. É muito importante realizar um diagnóstico da companhia, de modo a entender qual é a que melhor se encaixa em suas necessidades.

Contudo, é interessante saber que existem diversas opções para quem deseja aproveitar a tecnologia para evitar as fraudes. Trata-se de sistemas que usam as mais avançadas técnicas, como:

  • machine learning;
  • Inteligência Artificial;
  • data analytics;
  • Business Intelligence, entre outros.

Ao contratar softwares que usam essas inovações, fica muito mais fácil garantir a proteção necessária a dados e a tecnologias da empresa.

Aposte na criptografia

Quem busca evitar comportamentos fraudulentos na rotina deve saber que existem diversas alternativas que atuam nesse sentido. Uma delas é a criptografia, que codifica e decodifica dados on demand isto é, quando solicitado. Ela capta uma informação e a torna inteligível. Então, quando a entrega ao destinatário correto, a decodifica, garantindo o acesso. A tecnologia é uma grande aliada no combate aos ciberataques.

Use dados

Os dados já são parte da realidade de empresas de todos os setores. Após implementar as soluções citadas, eles serão os maiores aliados da organização na hora de acompanhar a eficiência da gestão antifraude. Afinal, apresentarão indicadores a serem acompanhados, como:

  • chargeback;
  • taxa de aprovação;
  • tempo de resposta.

O primeiro diz respeito ao retorno do dinheiro que o consumidor gastou a ele mesmo. Isso ocorre por erros envolvidos na instituição financiadora, por exemplo, que, por algum motivo, está incapaz de efetuar o débito.

Já o segundo diz respeito à porcentagem de pedidos efetivamente pagos, tendo em vista as compras efetuadas. Por fim, o tempo de resposta é o período que o cliente demora para ver o seu problema resolvido, após informá-lo.

Ao acompanhar esses indicadores, os líderes poderão entender mais sobre o dinheiro que entra e sai da empresa, compreendendo se as ações de combate aos fraudadores estão sendo eficientes ou não. Eles mostrarão quantas tentativas malsucedidas de fraude foram efetuadas — em especial, após contatar o consumidor envolvido e confirmar a sua identidade digital.

Busque pelo sistema antifraude mais avançado do mercado

Sem dúvidas, a melhor forma de garantir que uma organização está segura é por meio da contratação de serviços especializados no combate às fraudes. Existem sistemas dedicados a isso no mercado, que trabalham para reduzir ao máximo os riscos de golpes. Isso é feito por meio do mapeamento tecnológico do negócio. O processo também é conhecido como análise de vulnerabilidades.

Ao entender os pontos de vulnerabilidade da companhia, o software indica ao gestor os potenciais problemas e trabalha junto a ele para resolvê-los. Por isso, para aproveitar o melhor dessa solução, é fundamental trabalhar a qualidade da tomada de decisão, bem como embasá-la em dados.

Conheça os seus clientes

Por fim, uma forma simples e eficaz de reduzir as fraudes é conhecendo os melhores compradores. Uma boa forma de fazer isso é investindo em boas estratégias de fidelização. Ao saber quem caminha junto a você, será mais fácil conhecer os seus hábitos de consumo e identificar comportamentos que saem do padrão.

Por outro lado, ao promover promoções ou situações que tragam muitos clientes novos ao negócio, é fundamental redobrar a atenção. Invista em sistemas e em tecnologias de identificação, impedindo que pessoas mal-intencionadas tentem fechar negócios. Use o sistema certo também na hora de barrar ciberataques.

Conforme visto, ter formas cada vez mais simples e práticas de confirmar ser quem é, como o DNI, faz todo sentido no momento vivido. Com altos riscos de fraudes, é essencial contar com praticidade ao realizar transações. É possível ter isso tanto por meio da identidade digital quanto por meio das demais alternativas apresentadas neste conteúdo. Então, esteja sempre de olhos abertos no combate às fraudes e aproveite os benefícios das facilidades tecnológicas que surgem no mercado — tanto ao se identificar quanto ao se proteger.

E então, o que achou do conteúdo? Ficou com alguma dúvida ou tem sugestões a fazer? Deixe o seu comentário a seguir!

Título

Escrito por

Jornalista responsável pela produção de conteúdo da ClearSale, é graduado pela Universidade São Judas Tadeu e pós-graduado em Comunicação Multimídia pela FAAP. Tem 10 anos de experiência em redação e edição de reportagens, tendo participado da cobertura dos principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Renovado após seis meses de estudo e vivência no Canadá, aplica agora seus conhecimentos às necessidades do mundo corporativo na era do Big Data.